Recontando um clássico de Natal com a magia do continente irmão
Foto: Divulgação

O Pastor Leandro Caiado, diretor do espetáculo garante que Um Sonho de Natal – No Reino do Leão vai transportar o público para a alegria e musicalidade da África

Chegou aquela época do ano mais uma vez:

É NATAL! E, seguindo a tradição, a Nova Igreja Batista vai estrear no próximo dia 8 de dezembro, mais uma temporada do espetáculo Um Sonho de Natal, este ano, com a temática “No Reino do Leão”. A ideia é contar a tradicional história natalina com influências da alegria, das cores e músicas do continente africano.

Para saber mais detalhes

Conversamos com o diretor do espetáculo, o Pastor Leandro Caiado, que nos contou sobre os bastidores de ensaios e a preparação dos mais de 3000 voluntários dentro e fora dos palcos que fazem o show acontecer todos os anos. Confira a entrevista completa abaixo.

Tipo Manaus: O espetáculo vem com uma nova temática este ano, “No reino do Leão”. Que mudanças esse cenário e inspirações da África devem acrescentar no espetáculo?

Pastor Leandro: Bom, o Sonho de Natal iniciou em 2002, pra contarmos a historia do natal de uma forma envolvente, cativante, utilizando a arte que nós tínhamos disponíveis e depois acrescentamos outras coisas. Depois de certo tempo, decidimos contar essa historia com enredos um pouco diferentes. Tipo uma contextualização, alguma coisa que pudesse chamar atenção, manter o publico motivado, porque o povo gosta, a imprensa gosta de novidades. Também porque quem trabalha com arte gosta de estar inovando. Queremos sempre fazer algo melhor, nunca nos conformamos com uma coisa simples.

Começamos então com o Circo, depois fomos pra Fábrica de Brinquedos, para a Floresta Encantada e agora estamos na África, inspirados nos musicais, que tem essa temática africana, decidimos contar essa história natalina sob essa perspectiva e será fantástico. Isso é muito bom porque o continente africano é de muita alegria, você percebe, de muitas cores, de muita vibração e isso é o Natal também, vibração, cor e alegria. Nós achamos que é possível fazer esse enredo e vai ficar lindo, ficou lindo, vale a pena conferir. Acreditamos que o ponto alto do espetáculo será justamente contar o Sonho de Natal na temática africana.

TM: Há quanto tempo o grupo vem trabalhando na montagem do espetáculo, desde pesquisas sobre o tema até ensaios?

PL: O Sonho de Natal é um espetáculo grandioso, com muitas pessoas, então, nós precisamos trabalhar desde o início do ano. Na verdade, começamos a pensar um ano antes, quando ainda estamos trabalhando no outro. Temos uma equipe de roteiro já trabalhando em prol do ano seguinte. Por exemplo, agora já estamos pensando na temática do ano que vem. Depois disso fechamos o roteiro e começamos o treinamento no início do ano.

Os grupos todos são voluntários. Nós ensinamos os jovens, adultos e crianças a arte circense, a dança, interpretação, do zero. Não precisa ter experiência, a gente vai descobrindo talentos. Então, começamos a montar pequenas peças, pequenos enredos de outras coisas. No meio do ano, temos um musical na Igreja que também já faz parte do calendário, – esse ano foi O Fantasma da Ópera – e serve também de treinamento dos grupos.

Depois do musical do meio do ano

Eles já começam a trabalhar diretamente no Sonho de Natal, estamos desde julho/agosto já desenvolvendo as coreografias, a temática, os figurinos todos e, a partir de setembro, os ensaios são intensificados.

Temos ensaios praticamente todas as noites aqui na Igreja, mas terça e quinta são os dias principais e nos sábados à tarde para os jovens. Eles ensaiam esse tempo todo pra que possa ficar algo fantástico e muitas pessoas se impressionam como um grupo de amadores pode fazer algo tão bonito. Mas é porque é muito ensaio e muita dedicação de todos nós.

TM: Quantas pessoas compõem o elenco deste ano e de qual faixa etária?

PL: Hoje, temos mais de 1500 pessoas se revezando no palco. Nossos grupos são muito grandes, por exemplo, nosso grupo de percussão tem 180 pessoas, O de pantomima tem quase 300 pessoas e assim vai, o coral é imenso!

São muitas pessoas envolvidas nisso e nós temos todas as faixas etárias, nós queremos que as crianças participem, elas têm um papel importante. Nós poderíamos não trabalhar com as crianças, mas queremos desenvolver a arte desde a tenra idade porque acreditamos que a arte é um ótimo processo de desenvolvimento cognitivo, mental, espiritual. Então nós trabalhamos com crianças desde 4, 5 anos, depois de 6 a 11 anos, trabalhamos com 500 adolescentes, mais ou menos. Temos os jovens, adultos, casais e muitos idosos também trabalhando, até cerca de 70 anos envolvidas em todas as artes, no teatro na pantomima.

Isso é uma alegria porque conseguimos envolver a igreja toda. Aqueles que não trabalham nas artes, trabalham nos bastidores. Além dos mais de 1500 pessoas no palco, temos por dia umas 2000 pessoas trabalhando por fora, tipo estacionamento, cantina, limpeza, recepção… é um batalhão de pessoas que decidem contar a historia do Natal e decidem também encantar a cidade.

Todos estão ali voluntariamente, ninguém é obrigado a participar, mas querem porque entendem que estão cumprindo a missão da Igreja de Deus na terra, que é levar a mensagem do evangelho de Jesus Cristo para todas as pessoas e nós levamos de uma forma alegre que as pessoas querem ir para a igreja, fazem fila pra entrar e esse é o nosso objetivo: que as pessoas venham conhecer a história do Natal. Não é algo religioso, não é um culto, a gente não pede ofertas, mas todos participam de uma forma fantástica.

TM: O Um Sonho de Natal já é um espetáculo tradicional desta época na cidade. Vocês conseguem identificar um crescimento de público a cada ano, até de pessoas de fora da igreja? Como vocês avaliam essa troca durante o espetáculo?

PL: O primeiro Sonho de Natal eu fiz com 143 pessoas e nós tivemos um público de 2 mil, 3 mil pessoas. Hoje, temos um número muito grande de pessoas trabalhando e o público esperado é imenso. Nós não divulgamos mais números, por questões de segurança, mas é uma multidão que todos os anos vêm.

Já faz parte do calendário familiar das pessoas, do calendário natalino de Manaus e as pessoas vêm conferir, trazem a família. Não é preciso ser religioso, pessoas de outras igrejas também assistem e fazem aí um programa, porque nós temos poucas coisas de qualidade na cidade nessa época. E nós ficamos muito felizes de ver que estamos cumprindo a nossa missão.

O publico realmente participa, temos partes do espetáculo especialmente pra isso, por exemplo, quando Jesus multiplica o pão, ele vai lá e entrega para a plateia, conversa com as pessoas. É interessante a interatividade, a troca disso daí. Nós procuramos fazer com que as pessoas se sintam realmente naquela época, naquele momento, sendo tocados ela palavra de Deus. Essa troca é fantástica e somos muito felizes de poder participar dessa obra.

TM: Para concluir, deixe um convite para quem quiser curtir o espetáculo.

PL: Geralmente na primeira semana ainda tem algumas vagas, porque o pessoal ainda tá no ritmo de entender que o Natal já chegou, mas depois, na segunda e terceira semanas, já é casa cheia e funciona assim também. A gente acredita, e sempre foi assim, que vai crescendo até chegar na última semana, que já não tem mais muitos lugares.

Por isso que a gente recomenda sempre: venha assistir na primeira semana, dias 8, 9, 10, 11 e 12, porque nessas com certeza vai ter vaga. Nas outras já fica mais difícil.

Pra concluir, quero deixar um convite para toda a cidade de Manaus, para todas as famílias, todas as pessoas que gostam de arte, gostam de ver algo diferente, algo inovador, algo cativante.

Muitas pessoas que já foram na Broadway, na Disney, já foram em vários lugares – inclusive nós temos essa experiência, já fomos nesses lugares pra conferir, pra tirar ideias e nos inspirar – dizem “uau, vocês não deixam a desejar”. Por isso, eu quero convidar você a conferir que nós realmente não deixamos a desejar. Você vai ver talvez um dos maiores espetáculos da sua vida!

Só de ver 1500 pessoas num palco se revezando, cada uma fazendo o seu melhor, levando a mensagem do Natal, que é uma mensagem conhecida, mas que vale a pena. A gente aprende cada vez mais e, esse ano, será cheio de luzes, de cores e uma temática africana.

Venha sonhar conosco, Um Sonho de natal, de 8 a 25 de dezembro, todas as noites às 20h. Aos sábados e domingos, nós temos sessões extras. Confira nos convites e nos nossos meios de divulgação. Você é o nosso convidado especial, venha sonhar conosco, Um Sonho de Natal – No Reino no Leão.

Fotos: Divulgação

Por Kamilla Vieiralves

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here