Nosso papo com a Jéssica Nery, do Blogueira Lisa continua esta semana, porque é muita dica pra um texto só. Se você perdeu a primeira parte, é só clicar aqui.

Começamos pelas viagens preferidas e os perrengues. Agora, vem o outro lado: o hobby que virou uma segunda profissão e como o blog se tornou uma extensão do trabalho da Jéssica.

Blog profissional

“O blog é uma porta de entrada para o que eu gosto de fazer por trás dele, na verdade, que é a consultoria e assessoria de marketing digital pra pequenas e microempreendedores”, conta. Trocando em miúdos, quem acompanha o perfil no Instagram, vê o resultado de um trabalho que acontece muito antes. Nada é postado ali sem ter sido muito bem pensado.

“Quando alguém fecha um orçamento pra postar uma foto dentro do meu blog, recebe um orçamento, um e-mail, acompanhamento, um feedback do retorno que deu a publicação, os meus melhores horários e dias pra postar, recibo do pagamento e um boleto pra ele pagar. Então não é uma louca que sentou ali e falou “vou postar alguma coisa”, que é isso que as pessoas pensam que é um blog hoje em dia”, afirma a blogueira.

“É algo profissional, porque eu sou dá área comercial e tenho cursos na área de marketing digital, então eu utilizo as técnicas. Quando alguém chega pra mim e fala que vai pagar X valor pra eu divulgar, eu primeiro olho as mídias dessa pessoa e avalio se essas mídias estão preparadas pra uma divulgação. Senão, a gente trabalha elas primeiro. E aí, primeiro faço uma assessoria ou uma consultoria em cima disso. Quando está tudo ok, eu trabalho com a divulgação. E todos os meus clientes veem resultado. É isso que eu quero fazer. O blog nunca foi o meu ponto final, na verdade, a assessoria e consultoria através do blog é o que eu amo fazer e o que eu realmente me rentabilizo”, completa.

O resultado desse trabalho é que, de acordo com ela, o alcance da página tem aumentado a olhos vistos a nível nacional. O que, antes, era feito por uma amazonense para seus conterrâneos, agora ganha peso e a responsabilidade de mostrar para o país. “Antigamente, 98% do meu público era Manaus. De 4 meses pra cá, caiu e são 73% de Manaus, ou seja, a outra fatia ta sendo assumida pelo Brasil, inclusive alguns outros lugares do mundo. Tem umas pessoas da Argentina que me seguem, chilenos e ta começando a expandir. Mas eu sempre tento converter pra Manaus, porque é onde eu moro, onde eu vivo e onde dá pra, inclusive fazer mais coisas presenciais”, garante Jéssica.

Equipe

Outra boa questão que a Jéssica gosta de desmentir é que, embora ela seja o rosto mais conhecido da Blogueira Lisa, é praticamente impossível fazer tudo sozinha. Hoje, ela conta com parceiros e colaboradores do país inteiro que contribuem para que o blog se mantenha atualizado e com um conteúdo relevante. “Eu tenho um editor, só que ele é de Aracaju – um grande parceiraço. Eu tenho uma galera espalhada pelo Brasil, que são pessoas que também fazem roteiros. Eu tenho aqui em Manaus também, que já é mais da parte de como fazer certas coisas, por exemplo, a minha parceira de nutrição, a Dra. Raphaella Cabral; tenho também a minha personal trainer, que é a Karina. Não deixa de ser minha equipe, porque o que eu apresento, elas fazem parte”, garante.

É a partir do trabalho de todas essas pessoas que a Jéssica pode planejar o conteúdo que, posteriormente, é postado no Blogueira Lisa. “Como eu, no meu roteiro não é muito preso. Eu só decido o que eu quero fazer no local. Que dia ou como eu vou fazer, eu vou me virando por lá. E daí eu faço microvídeos de 1 min pro Instagram e já jogo no Facebook, pra já ir mostrando um pouco de cada coisa. Além dos stories e tal. Hoje, quem entra no meu Instagram, vê vários stories separados por cidade, que é exatamente pra mostrar os lugares que eu fui”, conta.

Orçamento de viagens

Essa é a parte que dói no bolso, certo? Errado. Conversando com a Jéssica, você tem a impressão de que absolutamente qualquer lugar é possível e ela te prova com números! “Eu tento manter uma media por dia – até porque a minha viagem também não é tão, tão apertada. Já aconteceu de ser no máximo R$100 por dia. Isso incluindo transporte, alimentação e atrativos culturais. É pouco”, garante a blogueira.

Pouco¿ Sim e eis a prova: “Vamo falar de Manaus. R$20 é uma ida ao Teatro Amazonas. “Ah, mas a gente daqui não paga”, mas vamos contar como viajante. Ônibus em Manaus não é tão legal, não dá pra utilizar tanto. Mas vamos dizer que eu fui de ônibus até o teatro, coloca aí pelo menos uns R$23,80. Aí do teatro pro MUSA, na Cidade de Deus, quanto eu vou gastar? Tem que ser de Uber, ônibus vai levar muito tempo, não vou conseguir o que eu quero lá. Se eu rachar o Uber com os amigos, vamos dizer que eu pague R$15, só ai a gente ta batendo próximo dos R$50. Mas eu não to contando o meu almoço que, por ai, uns R$20. A conta já vai pra R$70. Me sobra R$30 pra voltar do MUSA e pra jantar. É pouco R$100 por dia”, explica.

Mas então, como é possível? Acredite, dá pra viver com menos! “Dá pra fazer menos! Dá pra você comer num PFzão de R$10, andar com um miojo de R$2, comprar uma bolacha de R$1 ou menos, andar de busão. Dá pra fazer com menos, tudo depende do orçamento que você quer gastar. É claro, a gente tenta economizar. Em Palmas, por exemplo, eu fiquei no couchsurfing, sem gastar um real com estadia, eu fico em hostel, economizo na comida. Em Alter do Chão, teve um dia que eu falei que só ia gastar R$10, eu gastei R$9,50, se não me engano. De alimentação! Comprei um miojo. Pra provar que dá, é possível”, conta.

Encontro de viajantes em Manaus

E parece que ela está conseguindo, viu. Recentemente, o Blogueira Lisa junto com outros parceiros locais, promoveu um encontro com mais de 40 viajantes de toda parte do país em Manaus. “Quando eu viajo, eu levo muito do norte. Meu sotaque já é bem misturado, então eu não tenho muita coisa, mas tento colocar. Por exemplo, eu não paro de falar “telesé?”, porque eu faço questão! “Ê caroço!”, porque é legal brincar com esse regionalismo e eu sempre falo do Amazonas nas minhas viagens”, conta.

“E não é um destino principal no roteiro da maioria das pessoas, mas nessa de falar muito de Manaus la fora, os amigos ficaram “Nossa, preciso conhecer Manaus”. Uma página que era de onde a gente ia pros encontros, que foi onde a gente se conheceu, parou com os encontros. Então eu falei: “a Blogueira Lisa assume”. Logico, com os parceiros. O encontro não é meu, ele é do grupo viajantes – que foi um grupo que a gente criou exatamente pra trabalhar o máximo de viagens. A Blogueira Lisa eu digo que encabeçou, no sentido de procurar parceiros e ir organizando as coisas. Sempre tem um que compra a passagem primeiro. Um comprou, o resto compra. E foi o que aconteceu”, completa Jéssica.

Assim, muita gente que talvez nunca passasse por Manaus, teve a chance de conhecer o açaí, o cupuaçu, o Teatro Amazonas, o nosso artesanato e muito mais da nossa identidade. “A maioria deles não conhecia Manaus, inclusive gente aqui do nosso lado, do Pará. Não conheciam a nossa cidade. E quando eu viajo, eu gosto de falar que eu sou índia. Falo mesmo, não tenho problema! Tem gente que tem vergonha ne, de falar. Eu, quando falam Manaus, eu falo ‘Sou indígena!’”, brinca a blogueira. “No final, teve gente até que desmarcou a passagem de volta pra ficar mais uns dias. Teve gente que chegou antes ou adorou provar o açaí verdadeiro, adorou tucumã, cupuaçu, taperebá, eles gostaram demais e já falaram que precisam voltar”, completa.

Família e trabalho

Enquanto nós conversávamos, não tive como não perguntar da família. Uma profissão que te faz viajar muito ainda é uma realidade nova pra muita gente. Então, como a família da Jéssica reagiu?

“Minha mãe até hoje briga comigo. Ela meio que se preocupa. Querendo ou não, a gente sabe que ser mulher e viajar sozinha não é fácil. Como eu falei, dizer isso é demagogia, écontar história pra boi dormir, porque é perigoso sim. Em compensação, não é essa coisa também que todo mundo fala de “Ah meu deus, vou sair numa esquina e vou morrer, ser assaltada, etc”. Não é, mas é cuidado de mãe”, garante Jéssica. “Quero ver quando eu falar que vou pra Belém em Setembro. Ela vai falar “Mas em setembro você já vai passar um fim de semana fora!” e eu vou falar ‘Acontece’”, adianta sobre a novidade que, a gente espera, a mãe dela não fique sabendo por essa matéria. #desculpaJéssica

A fala de mãe não é surpresa, mas deixa muito claro que, ainda que voltar pra casa seja um prazer, arrumar as malas e viajar, pra Jéssica, ainda é a melhor parte do trabalho. “Apesar disso, tem respeito. Ela sabe que é trabalho, sabe que tá ligado ao que eu tenho que mostrar. Toda vez que eu vou fazer uma viagem, ela fala ‘Já deu ne, de viagem esse ano’, mal ela sabe que eu já to procurando e preocupada com a próxima”, finaliza.

5 COMENTÁRIOS

  1. Tive a honra de conhecer essa mulher maravilhosa. E passear com ela em Curitiba. Um abraço e o mundo te aguarda . Beijos aqui do Rio de Janeiro.😘💋

  2. Tive a honra de conhecer essa mulher maravilhosa. E passear com ela em Curitiba. Um abraço e o mundo te aguarda . Beijos aqui do Rio de Janeiro.😘💋

  3. Queeeeero ser assim como crescer
    Adooooorei!! Muito sucesso nos próximos roteiros e viagens!!! 💕💕💕💕👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here