Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Fiocruz Amazônia anuncia nova ferramenta para a detecção rápida das variantes do SARS-CoV-2

Publicado em

A vigilância genômica no Brasil ganha um reforço com o novo ensaio para a detecção rápida de linhagens do SARS-CoV-2, por meio do protocolo RT-PCR,  desenvolvido por pesquisadores do Instituto Leônidas  & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

A ferramenta foi anunciada pelo pesquisador e vice-diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca. O novo ensaio permite a triagem das linhagens de maior importância em circulação no Brasil.

“A ferramenta é um produto inovador que foi desenvolvido no nosso laboratório. Existem outros protocolos semelhantes, mas este foi validado frente a 87 amostras já sequenciadas, o que nos dá uma confiança muito grande no resultado”, comenta Naveca.

Continua depois da publicidade

Os resultados do ensaio foram obtidos com base na testagem  das 87 amostras, confirmados por sequenciamento nucleotídico e pela ferramenta Pangolin. Além disso,  as linhagens foram também revisadas manualmente quanto às sinapomorfias definidoras de cada uma.

“É possível fazer centenas de amostras diariamente, porque o protocolo de PCR em tempo real é muito mais fácil e direto do que o sequenciamento, então, a gente consegue fazer hoje com a nossa capacidade centenas de amostras por dia”, comenta Naveca.

O pesquisador destaca a importância de uma maior vigilância genética do SARS-CoV-2 no Brasil, e a nova ferramenta vai contribuir para o acompanhamento das linhagens que circulam nas cidades.

O ensaio foi desenhado para detectar uma deleção que existe em todas as VOCs (Variants of Concern)) até o momento, então, ele é desenhado para linhagens ou variantes que surjam ou tenham a mesma deleção.

Em breve, o ensaio estará disponível em vários laboratórios, pois já estão sendo realizadas tratativas para disponibilizar a ferramenta. O Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM) será o primeiro a usar o produto, depois Rondônia, Roraima, Mato Grosso do Sul, Ceará, Rio de Janeiro e outros laboratórios interessados.

Foto: Divulgação

“A gente não tem condições de atender a todos, no primeiro momento, porque a quantidade dos insumos comprados não são suficientes para mandar para o Brasil inteiro, mas com essa validação em maior escala, poderemos ter isso em maior quantidade. A Fiocruz já tem uma decisão de incluir esse ensaio no diagnóstico, então,  além do diagnóstico dizendo se é SARS-CoV-2 ou não, também, será incluída a diferenciação para avaliar se é uma das três variantes de importância”, comenta Naveca.

Felipe Naveca é pioneiro no sequenciamento genético do SARS-CoV-2 na Região Norte. Até 13 de janeiro deste ano, ele e sua equipe já haviam sequenciado 250 genomas de amostras provenientes do Amazonas,  sendo 177 provenientes de Manaus e outros 73 de 24 municípios do Estado, além disso o laboratório liderado por ele atende a outros estados quanto ao assunto de genômica do novo coronavírus.

*Com informação da assessoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em