Vereadores de Coari
MPAM vai investigar denúncia contra Vereadores de Coari (Foto: Reprodução)

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), com o apoio das polícias Civil (PC) e Militar (PM), deflagrou, nesta terça-feira (25), a operação ‘Collusione’ com o objetivo de investigar o envolvimento de pessoas em uma organização criminosa, cujas atividades são lavagem de dinheiro, tráfico de entorpecentes, associação ao tráfico de drogas e falsidades documentais.

A investigação do Gaeco, que também teve a participação da 84ª Promotoria de Justiça que atua junto à 4ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes, começou após comunicação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ao MP-AM, onde foi verificado que determinadas pessoas, muitas delas com envolvimento com o tráfico de entorpecentes, enviavam dinheiro de Manaus para a conta corrente de outro investigado, em Tabatinga (a 1.108 quilômetros a oeste de Manaus), região da tríplice fronteira.

Uma das principais investigadas teria enviado para a intermediária, residente naquela cidade, valores consideráveis que chamaram a atenção.

Após o deferimento judicial do pedido de quebra de sigilo de dados telefônicos formulado pelo MP-AM, ficou clara uma extensa relação de pessoas físicas que comercializavam entorpecentes para a organização criminosa.

Com esta mesma medida, foi possível identificar empresários que se utilizavam de pessoas jurídicas para acobertar a atividade ilícita dos outros investigados.

Um desses empresários forneceu guia de trabalho falsa para que um dos investigados, cumprindo pena no regime semiaberto, obtivesse benefícios penitenciários de forma indevida, como a remissão da pena (abatimento de um dia da pena para cada três dias trabalhados).

Apurou-se ainda que os investigados se valiam de várias pessoas interpostas para movimentar dinheiro e adquirir bens, dificultando a localização dos frutos econômicos do tráfico de entorpecentes.

A partir disso, os promotores de justiça do Gaeco propuseram medida cautelar judicial, obtendo o deferimento de busca e apreensão domiciliar e pessoal de 20 alvos (entre pessoas físicas e jurídicas), sequestro de bens de sete investigados, indisponibilidade de bens de seis investigados e prisão temporária de cinco investigados.

Durante a execução da medida, as equipes do Gaeco e da PC apreenderam documentos, computadores portáteis, smartphones e tablets, que já estão sendo periciados. Pessoas que possam ter envolvimento com os crimes investigados na operação ainda serão ouvidas no MP-AM.

‘Collusione’ é uma palavra italiana que significa conluio. No contexto da investigação, observou-se a existência de verdadeiro conluio criminoso entre um grupo de pessoas com forte atuação no tráfico de drogas e outro grupo de empresários e contadores, que atuaria no sentido de lavar o dinheiro proveniente dessa atividade ilícita.

Leia Também: Rocam prende homem com 23 tabletes de maconha na Zona Norte de Manaus
Fonte: D24AM

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.