Primeira-dama do município, Elizabeth Valeiko, tem evitado a Polícia Civil e já faltou a dois depoimentos marcados. Foto: Divulgação/Semcom
Primeira-dama do município, Elizabeth Valeiko, tem evitado a Polícia Civil e já faltou a dois depoimentos marcados. Foto: Divulgação/Semcom

O não comparecimento da primeira-dama do Município, Elisabeth Valeiko, à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para ser ouvida no inquérito que investiga o assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues, que teve o corpo encontrado no dia 30 do mês passado,levou a Polícia Civil a reintimá-la para que ela seja ouvida na próxima sexta-feira.

A intimação foi entregue no final da tarde por investigadores da DEHS que usaram uma viatura caracterizada para entregar o documento. O que está intrigando a polícia é o motivo de Elisabeth estar protelando o seu comparecimento para ser ouvida. Na primeira intimação, ela deveria ter comparecido na última segunda-feira (14) e depois adiou para ontem e mais uma vez deixou de comparecer.

De acordo com o delegado titular da DEHS, Paulo Martins, o objetivo de ouvir a mãe de Alejandro é para tirar dúvidas, já que ela foi uma das primeiras pessoas a comparecer ao local onde tudo começou, que é a casa onde o filho mora.

Leia também: Mãe e filho são encontrados decapitados

Ontem, o advogado de Alejandro, Félix Valois, disse que não está fazendo a defesa da primeira-dama, pois ela não é suspeita de nenhum crime, mas disse que ele e os demais advogados que fazem a defesa de Valeiko precisam ter acesso ao depoimento de pessoas prestado a membros do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM).

O advogado disse que, ontem, estiveram com a procuradora-geral do Ministério Público, Leda Mara, com objetivo de ter acesso ao depoimento da testemunha misteriosa, mas ela disse que não teve acesso e informou que integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) estão cuidando do caso.  “Nós, a defesa, temos o direito de ter acesso as provas que foram produzidas pela polícia” disse Valois.

Félix Valois confirmou que a primeira-dama recebeu a notificação e que deverá comparecer a DEHS na sexta-feira (18), mas primeiramente a defesa precisa ter acesso ao depoimento da testemunha misteriosa. De acordo com ele, já foi enviada uma solicitação aos coordenadores do Gaeco solicitando acesso ao depoimento.

A testemunha foi ouvida, na última segunda-feira, pelo Ministério Público Estadual e promete causar reviravolta no caso do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues. O jornal A CRÍTICA teve acesso a informações de que a testemunha, que não estava arrolada no inquérito policial, foi espontaneamente ao MPAM e fez revelações que apontam novos rumos ao caso.

O delegado da DEHS, Paulo Martins, confirmou a ida da testemunha ao órgão, mas não revelou quem é a pessoa e nem o que ela disse. Paulo Martins disse que as investigações ainda não cessaram e que continuam com a finalidade de buscar novas informações e dirimir dúvidas que estão aparecendo para o esclarecimento dos fatos.

1 COMENTÁRIO

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.