Foto: Reprodução

Um advogado de 33 anos foi preso em flagrante ao tentar subornar policiais militares nesta segunda-feira (17), no bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus. Segundo a polícia, ele ofereceu cerca de R$ 2,5 mil aos PMs em troca da liberação de dois homens, ambos de 24 anos, presos com arma e drogas.

De acordo com o tenente André Paiva, da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os suspeitos foram localizados após uma denúncia na invasão Estrela de Davi. No momento da abordagem, quatro homens estavam em um veículo modelo HB20, onde a polícia encontrou porções de drogas e uma pistola, que foi roubada de um militar no dia 21 de junho no bairro União da Vitória, Zona Oeste da capital.

Os quatro suspeitos foram levados ao 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para os procedimentos cabíveis. Ainda segundo Paiva, enquanto a ocorrência era registrada, o advogado se apresentou e pediu para conversar em particular com os militares.

“Ele chegou comigo, o supervisor de área, perguntando de mim se tinha como resolver a situação do cliente dele, que era um dos envolvidos. Posteriormente, ele falou que não era só esse cliente, como mais um outro que também estava apreendido conosco (…) Eu informei que seria feito o procedimento legal, a apresentação dos mesmos. Entretanto, ele insistiu na abordagem dele tendendo a negociar a liberdade do elemento”, contou.

O tenente afirma que outros policiais filmaram o momento em que o advogado tenta entregar cerca de R$ 2,5 mil ao militar.

“Ele ofereceu uma determinada quantia à nossa guarnição de serviço e, no momento que ele mostrou o dinheiro, eu dei a voz de prisão nele (…) Nós fizemos nossa filmagem. Eu me resguardei, deixei alguns policiais alertas caso ele retornasse com a mesma conversa e foi o que aconteceu. Nós fizemos a filmagem, inclusive já foi disponibilizada para a delegada e ela, certamente, vai lançar no inquérito”, disse.

O advogado foi preso em flagrante. Em nota, Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM) disse que a Comissão de Prerrogativas está acompanhando o caso e “vai tratar da defesa técnica do advogado por entender que houve a ocorrência flagrante preparado/forjado”. A Ordem afirma, ainda, que considera abusiva a exposição do advogado por meio de imagens não autorizadas.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here