Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Uruguai x Brasil: Escalações, desfalques e arbitragem do jogo

Publicado em

Sustentando uma invencibilidade de quase 20 anos no clássico, a seleção  brasileira masculina de futebol enfrenta o Uruguai nesta terça-feira tentando manter não só este tabu como também os 100% de aproveitamento nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

A partida acontece às 20h (de Brasília), no Estádio Centenário de Montevidéu, e é válida pela quarta rodada da competição.

A última derrota do Brasil para a Celeste aconteceu em 2001, na estreia de Felipão como técnico. A Seleção perdeu por 1 a 0, chegando a quatro derrotas consecutivas nas Eliminatórias na ocasião. Depois, se recuperaria e garantiria a vaga na Copa da Coreia e do Japão, onde faturou o penta.

Continua depois da publicidade

De lá para cá, o clássico foi disputado mais dez vezes, com cinco empates e cinco vitórias brasileiras – a última em 2018, por 1 a 0, em amistoso na Inglaterra.

As duas seleções chegam embaladas. O Brasil não teve boa atuação na última sexta, mas bateu a Venezuela por 1 a 0 e chegou à terceira vitória nas Eliminatórias. Já o Uruguai, que tinha sido derrota pelo Equador na rodada anterior, ganhou a Colômbia, fora de casa, com autoridade: 3 a 0.

Uruguai: técnico Óscar Tabárez

A Celeste teve um desfalque de última hora. Luisito Suárez – artilheiro das Eliminatórias com quatro gols – testou positivo e deixou Cavani “órfão” na forte dupla de ataque que formam há tantos anos. O substituto deve ser o garoto Darwin Sanchéz, de 21 anos, do Benfica.

“Maestro” Tabárez deve levar a campo contra o Brasil uma formação bem parecida com a que venceu a Colômbia na última sexta. A única mudança será na lateral esquerda, onde o palmeirense Matías Viña, diagnosticado com Covid-19, dará lugar a Agustín Oliveros.

Oliveros é revelação do Nacional, tem apenas 22 anos e fará a sua estreia pela seleção principal do Uruguai. Ele foi titular no torneio Pré-Olímpico, disputado no começo do ano por equipes sub-23.

Desfalques: Federico Valverde, Maximiliano Gómez, Sebastián Coates e Martín Silva (todos machucados), Matías Vinã, Rodrigo Muñoz e Luis Suárez (Covid-19)

Brasil – Técnico: Tite

A Seleção vive seu melhor início em Eliminatórias desde 1981, tendo vencido os três primeiros jogos, contra Bolívia, Peru e Venezuela.

Agora, o Brasil se prepara para um jogo diferente, no qual terá sua defesa mais exigida, mas por outro lado espera ter mais espaço para atacar.

A única dúvida na escalação canarinho está no meio de campo. Allan se queixou de dores nos últimos dias, embora tenha treinado na véspera da partida. Se ele não puder atuar, será substituído por Arthur.

Mais uma vez o técnico Tite não poderá contar com seu principal jogador: Neymar. Este será o 13º de 26 jogos pós-Copa do Mundo da Rússia que o craque desfalcará a Seleção.

Desfalques: Éder Militão, Rodrigo Caio, Casemiro, Fabinho e Phillipe Coutinho (cortados antes da apresentação), Neymar (lesão muscular), Gabriel Menino (Covid-19) e Pedro (lesão muscular).

Arbitragem

  • Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
  • Auxiliar 1: Christian Schiemann (Chile)
  • Auxiliar 2: Claudio Rios (Chile)
  • Quarto árbitro: Eduardo Gamboa (Chile)
  • VAR: Cristian Garay (Chile)
  • Assistente de VAR: Angelo Hermosilla (Chile)

Fonte: GE

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X