Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Tiroteio deixa pelo menos 11 mortos em escola na Rússia

Mais de 20 pessoas ficaram feridas e foram hospitalizadas, sendo que 6 crianças estão na UTI. Um suspeito de 19 anos foi preso e outro, morto pela polícia.

Publicado em

Ao menos oito pessoas foram mortas e mais de 20 ficaram em uma escola em Kazan, na Rússia, nesta terça-feira (11). Um agressor de 19 anos foi preso, segundo autoridades russas, e outro foi morto pela polícia.

O número de vítimas ainda é incerto.

As agências de notícias Associated Press e Interfax dizem que são oito mortos — sete crianças e um professor. A Reuters fala em sete crianças mortas. Já a agência de notícias estatal russa RIA Novosti informou que 11 pessoas morreram.

Continua depois da publicidade

Rustam Minnikhanov, governador do Tartaristão, disse que as vítimas são estudantes da oitava série. “Perdemos sete crianças… Quatro meninos e três meninas”.

“O terrorista está preso, [tem] 19 anos. Uma arma de fogo está registrada em seu nome”, disse Minnikhanov após visitar a escola. “Outros cúmplices não foram identificados e uma investigação está em andamento”.

Ambulâncias e carros da polícia estacionados em frente a escola que foi alvo de ataque a tiros em Kazan, na Rússia, em 11 de maio de 2021 — Foto: Roman Kruchinin/AP

Imagens publicadas nas redes sociais mostraram um jovem sendo imobilizado no chão por um policial do lado de fora do prédio da escola.

Após o ataque em Kazan, autoridades de segurança anunciaram a abertura de uma investigação e reforço no policiamento em outras escolas da região.

Tartaristão é uma região de maioria muçulmana no centro da Rússia, e sua capital Kazan fica a 725 km a leste de Moscou.

Ataques em escolas

Ataques a tiros em escolas são raros na Rússia. Oito crianças e uma professora ficaram feridas em 2018 após dois homens mascarados atacarem o local com armas brancas.

No mesmo ano, um estudante de faculdade matou 19 antes de se matar na Crimeia, região da Ucrânia que foi anexada à Rússia.

*Com informação do G1

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em