Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Relatório indicava risco de mortes dentro de cadeias no AM

Publicado em

Um relatório interno da Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap) indicava o risco de mortes dentro de presídios.

No início desta semana, 55 detentos foram mortos dentro de diferentes cadeias de Manaus.

No dia 22 de maio, quatro dias antes do novo massacre, relatório falava em possíveis 20 presos marcados para morrer.

Continua depois da publicidade

A Seap, em nota, afirma que montou um plano de contingência após receber o relatório.

Os presos que morreram já eram monitorados por uma equipe de inteligência, segundo o secretário de administração penitenciária, Coronel Vinicius Almeida.

O relatório indicava evidências e informações sobre uma possível declaração de guerra interna dentro de uma facção criminosa local.

Os mortos entre o último domingo (26) e segunda (27) pertenciam a uma organização criminosa, e a briga que resultou em mortes foi por disputa de lideranças internas.

No mesmo relatório, a análise de monitoramento previa que o foco da “ação” fosse o Centro de Detenção Provisório Masculino I (CDPM I).

Na segunda-feira foram mortos cinco internos da unidade. Outros 50 foram mortos em diferentes cadeias: Compaj, Ipat e UPP.

Em Nota, Seap fala sobre a criação de um plano de contingência adotado para monitorar e controlar um possível confronto.

Leia Também: Presos transferidos do AM não são mandantes de massacre
Fonte: G1
Categoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X