Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Quarenta geradores termelétricos chegam hoje ao Amapá

Cerca de 40 geradores termelétricos chegaram ao estado para operar e garantir a totalidade no fornecimento até a instalação definitiva de transformador para distribuição de energia elétrica.

Publicado em

Começaram a ser descarregados e devem entrar em operação no Amapá os 37 geradores termelétricos que devem garantir, de forma provisória, o retorno 100% do fornecimento de energia elétrica nos 13 dos 16 municípios do estado afetados pelo apagão, que entra no 15º dia nesta terça-feira (17).

Os equipamentos vindos de Manaus em balsas vão gerar 45 megawatts de energia, projetado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) para garantir o retorno da totalidade no fornecimento, que atualmente obriga 90% da população do estado a viver sob rodízio na distribuição.

Os geradores chegaram na segunda-feira (16) e começaram ser instalados em duas subestações da Eletronorte, uma na capital Macapá e outra no município de Santana.

Ainda não há prazo exato para a retomada integral da eletricidade, pois a previsão depende da avaliação técnica das empresas de montagem dos geradores.
Continua depois da publicidade

Atualmente, o estado está gerando um total de 210 megawatts, sendo 70 da Usina Hidrelétrica de Coaracy Nunes e 140 megawatts através do sistema da Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE), concessionária que teve um dos 3 transformadores incendiados em 3 de novembro, o que causou o apagão no Amapá.

Geradores chegaram ao Amapá em balsas vindas de Manaus, no Amazonas — Foto: Rede Amazônica
Geradores chegaram ao Amapá em balsas vindas de Manaus, no Amazonas — Foto: Rede Amazônica

Solução definitiva

Para garantir o abastecimento 100% e com segurança de reserva de energia é necessária a instalação de um segundo transformador na subestação que pegou fogo. Atualmente, a estrutura opera com apenas um, também danificado pelo incêndio, mas que pode ser recuperado.

Leia também: ‘Ataque massivo’ ao TSE veio do Brasil, EUA e Nova Zelândia, afirma corte

A LTME tinha um terceiro transformador, justamente de reserva, mas o equipamento está em manutenção desde o fim de 2019.

A Rede Globo apurou ainda que, em 5 anos de operação, a subestação que pegou fogo não recebeu uma única fiscalização presencial da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A Aneel esclareceu que a fiscalização do setor de transmissão de energia elétrica ocorre continuamente e tem por base o monitoramento de indicadores de desempenho das transmissoras. As causas do incêndio que provou a crise ainda estão sendo investigadas.

A montagem do novo transformador está prevista para esta semana; na segunda-feira o equipamento, que pesa cerca de 100 toneladas, começou a ser transportado de Laranjal do Jari, no Sul do estado, numa operação logística que envolve balsas e caminhões.

O parque elétrico de geradores que chega ao Amapá vai continuar no estado mesmo após a recuperação do transformador da subestação, como retaguarda.

Moradores da capital do Amapá, em Macapá, fazem protestos durante apagão — Foto: Maksuel Martins/Estadão Conteúdo
Moradores da capital do Amapá, em Macapá, fazem protestos durante apagão — Foto: Maksuel Martins/Estadão Conteúdo

Apagão no Amapá

Desde 3 de novembro os municípios atingidos estão com problemas no fornecimento e um rodízio vem sendo feito para abastecer as cidades, com alternância do serviço de 3 em 3 e de 4 em 4 horas.

Atualmente, as cidades atingidas pelo apagão tem cerca de 80% da capacidade de fornecimento. O racionamento gerado pelo problema é alvo de reclamações e uma série de protestos desde o dia 6.

Pelo menos 90 atos já foram registrados desde o começo da crise energética, segundo a Polícia Militar (PM).

Fonte: G1 Amapá

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X