A um dia do início do Mundial de Futebol da Rússia, pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revelou que 24% das famílias brasileiras apresentam intenção de consumir itens relacionados ao Mundial de Futebol de 2018. Esse percentual representa menos da metade dos registros de intenções de consumo às vésperas da Copa realizada no Brasil em 2014 (50,1%). O levantamento da entidade foi realizado em todas as capitais do país e suas respectivas regiões metropolitanas, entrevistando cerca de 18 mil consumidores.
Cenário Econômico Nacional
Além do menor envolvimento da população com o próximo Mundial a se realizar no exterior, as condições de consumo em 2018 ainda se encontram menos favoráveis do que há quatro anos. A despeito de país já ter deixado para trás o processo recessivo, a recuperação da economia e do consumo segue lenta e sujeita a oscilações. No trimestre encerrado em abril de 2014, por exemplo, a taxa de desemprego no Brasil era de 7,1% da população economicamente ativa, contra os 12,9%, recentemente divulgados através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Igualmente, a taxa média de juros cobrada dos consumidores na concessão de crédito, atualmente em 55,0% ao ano, era de menos de 47,9% às vésperas do Mundial realizado no Brasil.
Produtos mais procurados
Segund o levantamento, os produtos mais procurados deverão ser alimentos e bebidas (9,9%), itens de vestuário masculino, feminino e infantil (7,5%) e aparelhos televisores (4,3%). Em todos esses casos, entretanto, as intenções atuais de gastos se mostraram menores do que aquelas relatadas antes da Copa passada (21,5%, 14,3% e 13,3%, respectivamente).
Em Manaus, no universo pesquisado, 12,6% pretendem comprar um aparelho televisor para acompanhar o evento esportivo, 9% itens de vestuário, 1,2% bebidas e alimentos.
Gasto Médio
A maioria (51,6%) daqueles que pretendem consumir deve gastar pelo menos R$ 200,00, sendo que, 39,2% declararam intenções de consumir mais de R$ 300,00. Entre as famílias com renda mensal superior a dez salários mínimos, o gasto médio acima de R$ 300,00 representa mais da metade (50,6%) do universo pesquisado. As famílias desta faixa de renda, entretanto, correspondem a menos de 16% do universo pesquisado.
Na capital amazonense, 63,4% dos entrevistados informam que tencionam gastar mais de R$ 300,00 no período da Copa, 17,2% até R$ 100,00 e 14,4% de R$ 101,00 a R$ 200,00.
Modalidades de Aquisição
A maior parte dos consumidores (83,8%) deverá se dirigir às lojas físicas, especialmente aqueles que integram o estrato de famílias com renda média mensal menor ou igual a dez salários mínimos (85,6%). O varejo virtual ainda não representa 5% do faturamento anual do comércio brasileiro.
No universo pesquisado, em Manaus, 94% pretendem fazer suas compras em lojas físicas e 6% em lojas virtuais (internet).
Local de consumo de alimentos e bebidas
Nesse sentido, a maior parte (53,2%) daqueles propensos a efetuar esses gastos pretende fazê-lo no domicílio, contra 18,8% das intenções voltadas para o consumo em bares e restaurantes. Para 28%, não haverá diferença significativa quanto ao local de consumo de alimentos e bebidas. Portanto, independentemente da faixa de renda, o domicílio será o local predominante para o consumo desses produtos. Embora, neste ano, a intenção de consumo de alimentos e bebidas deva se manter praticamente a mesma daquela relatada antes do Mundial de 2014 (53,2% contra 53,4%, respectivamente), para as famílias de maior poder aquisitivo, houve aumento na preferência pelo consumo doméstico (de 40,4% em 2014 para 50,6% em 2018).
Em Manaus, 69,4% do consumo de alimentos e bebidas, entre os entrevistados, será no domicílio e 14,2% fora.
A pesquisa nacional completa referente à Intenção de Compra das Famílias realizada pela CNC pode ser acessada em:http://cnc.org.br/sites/default/files/arquivos/icf_copa_2018.pdf.
Com informações da assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here