Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Nota de esclarecimento da FVS-AM em relação ao aumento de óbitos no AM

O estado continua estabilizado em número de infectados e óbitos bem como um alto número de recuperados da Covid-19

Publicado em

Conforme noticiado na mídia na noite de ontem 10/08 em que que coloca o Amazonas novamente no grupo de alta no número de óbitos por estado, a Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas (FVS-AM) esclareceu que 18 óbitos, do total de 25 que foram apresentados no boletim de segunda-feira, ocorreram entre abril e junho.

Somente 7 haviam ocorrido, dentro das últimas 24 horas, número que está no mesmo parâmetro já apresentado nas últimas semanas para o Estado.

Leia também: Prosamim inicia a segunda fase da intervenção no igarapé Mestre Chico

Continua depois da publicidade

A inclusão de 18 óbitos é resultado de uma revisão epidemiológica feita pela Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), de acordo com os novos critérios do Guia de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, que passou a considerar óbitos por Covid-19 a partir de avaliação clínico-epidemiológica e exames de imagens.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, informa que uma equipe de vigilância epidemiológica da Semsa-Manaus está realizando visita em domicílios.

Afim de verificar onde foram registrados óbitos que ocorreram no pico da pandemia e cujos diagnósticos não foram conclusivos.

Possível aumento 

“Nos próximos dias muitos desses óbitos podem ser inseridos como Covid positivo se atenderem critérios como clínico-epidemiológico (contato direto de um caso positivo no período da ocorrência do óbito) e também por exame de imagem”, disse.

Não deixe de ler: Covid-19: Grupo estende cruzes em frente ao Teatro Amazonas

Para a subsecretária de Gestão da Saúde, Adriana Elias, com a definição dos critérios de encerramento recomendados pelo Ministério da Saúde. Haverá ainda alteração do número de óbitos dos meses anteriores, o que vai refletir nos óbitos acumulados.

No entanto,  afirmou,  é preciso que fique claro que não há tendência de elevação no número de óbitos registrados no período de 24 horas.

Com as investigações de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a vigilância epidemiológica espera esclarecer melhor a causa da morte dar um retorno à família e qualificar os dados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde.

 

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X