Manifestantes enfrentam o gás lacrimogêneo lançado por policiais em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu / Reuters
Manifestantes enfrentam o gás lacrimogêneo lançado por policiais em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu / Reuters

Milhares de manifestantes bloquearam nesta quarta-feira (12) as duas principais avenidas do centro de Hong Kong, em mais um protesto contra a lei que autoriza que pessoas sejam extraditadas para a China continental para serem julgadas.

Os manifestantes — a maioria jovens vestidos de preto — cercaram os prédios do governo no centro da ilha e bloquearam o trânsito exigindo a retirada do projeto, que é apoiado por Pequim.

A polícia afastou os manifestantes dos prédios governamentais com bombas de gás de pimenta e usou cartazes para adverti-los que usariam a força caso avançassem.

Apesar dos protestos, a votação do projeto no Parlamento, que deveria ocorrer nesta quarta (12), deve acontecer no dia 20 de junho, anunciou Andrew Leung, presidente do Legislativo, segundo o jornal americano “The New York Times”.

Manifestantes ocupam ruas perto do Conselho Legislativo e sede do governo em Hong Kong — Foto: Philip Fong / AFP Photo
Manifestantes ocupam ruas perto do Conselho Legislativo e sede do governo em Hong Kong — Foto: Philip Fong / AFP Photo

O texto, que começou a ser discutido em fevereiro, traria mudanças que tornariam mais simples as extradições de suspeitos de crimes para a China, incluindo Taiwan e Macau.

Segundo o governo de Hong Kong, a aprovação da medida fecharia uma “brecha” que tem permitido que a cidade se torne um refúgio para criminosos da China continental.

Segundo o projeto, o governo de Hong Kong só aprovaria pedidos de extradição depois de audiências judiciais, incluindo possíveis recursos. A norma, entretanto, retira do Conselho Legislativo da cidade a supervisão sobre os acordos de extradição.

Hoje, Hong Kong tem tratados de extradição com 20 países, diz a Reuters.

Manifestantes usam máscaras e óculos no centro de Hong Kong — Foto: Philip Fong / AFP Photo
Manifestantes usam máscaras e óculos no centro de Hong Kong — Foto: Philip Fong / AFP Photo

Protestos

No domingo (9), a ex-colônia britânica foi palco do maior protesto ocorrido desde sua transferência para a China em 1997.

De acordo com os organizadores, mais de um milhão de pessoas foram às ruas pedir ao Executivo de Hong Kong que desista de seu projeto de lei.

Na terça (11), dezenas de empresas e estabelecimentos comerciais de Hong Kong anunciaram sua intenção – incomum na ex-colônia britânica – de fechar as portas na quarta para protestar contra o projeto.

O texto provocou críticas de países ocidentais, bem como o clamor de alguns em Hong Kong, que temem uma Justiça chinesa opaca e politizada e acreditam em que essa reforma prejudicará a imagem internacional e a atratividade do território semiautônomo.

Leia Também: Rússia planeja entregar mísseis à Turquia em julho e EUA rechaçam anúncio
Fonte: G1

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.