Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Mugello, Imola e Portimão: O que esperar das novidades na F1 2020

Pandemia obrigou categoria a buscar novos palcos na Europa para seguir a disputa da temporada; blog conversou com brasileiros que correram recentemente nestas pistas

Publicado em

Na última semana, a Fórmula 1 anunciou mais 3 corridas ( Mugello, Imola e Portimão ) para seu atípico calendário no ano da pandemia da Covid-19.

Logo depois de cancelar os eventos nas Américas (Brasil, Estados Unidos, México e Canadá), a categoria anunciou que vai retornar a Nürburgring (GP de Eifel), Imola (GP da Emilia-Romagna) e Portimão (GP de Portugal).

Elas se juntam a Mugello (GP da Toscana Ferrari 1.000) como as grandes novidades em 2020.

Continua depois da publicidade

A princípio tirando o circuito alemão, que recebeu sua última corrida em 2013, as outras pistas são desconhecidas de boa parte dos fãs e dos pilotos do grid atual.

Leia também: Após 7 meses sem corrida, Stock Car tem vitórias de Zonta e Barrichello

Por isso, o blog Voando Baixo conversou com pilotos brasileiros que já correram nas novas pistas de 2020. Campeão da Stock Car em 2016, Felipe Fraga corre provas de GT neste ano na Europa.

Uma das maiores promessas do país nas categorias de base, Caio Collet é o líder da Fórmula Renault Europeia.

E Gianluca Petecof, outro jovem talento, que corre na Fórmula Regional Europeia e é membro da Academia de Pilotos da Ferrari (Ferrari Driver Academy – FDA, na sigla em inglês).

Pista da Ferrari

Uma das pistas de propriedade da Ferrari, o Circuito de Mugello foi inaugurado em 1974 e, até hoje, só recebeu carros de Fórmula 1 em atividades da equipe italiana e em um teste coletivo no meio da temporada de 2012.

Com 5.245 metros, é uma pista técnica e de alta, com curvas famosas como a San Donato, a Arrabbiata e a Bucine.

Por outro lado é uma pista sensacional, de alta velocidade. Toda vez que a gente treina é uma experiência incrível.

Ela é muito difícil para as ultrapassagens, mesmo nas categorias de base.

A classificação deverá ser o desafio na Fórmula 1, porque será complicado passar na corrida – disse Petecof.

Felipe Massa testa a Ferrari nas atividades de 2012 no Circuito de Mugello — Foto: Andrew Hone/Getty Images
Felipe Massa testa a Ferrari nas atividades de 2012 no Circuito de Mugello — Foto: Andrew Hone/Getty Images

Segundo Felipe Fraga disse ao Globo Esporte destaca que a grande reta dos boxes pode proporcionar boas disputas com o acionamento da asa móvel pelos carros da Fórmula 1.

E outro destaque: o alto desgaste de pneus deve ser uma preocupação das equipes e da Pirelli, fornecedora oficial da categoria.

O Circuito de Mugello tem uma reta muito boa, longa. Acho que com o DRS vamos ter muitas brigas na freada para a San Donato.

Definitivamente o desgaste de pneus é muito alto, as equipes vão encontrar dificuldades. É uma pista travada, mas acho que vai ser legal – disse Fraga.

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X