Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Consulta pública busca soluções de saúde para ribeirinhos e indígenas

Publicado em

Membros da sociedade em geral,  agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes indígenas de saúde (AIS) podem participar da construção de propostas que visam melhorias no atendimento da Saúde Ribeirinha e Saúde Indígena na Amazônia, por meio de consulta pública online disponibilizada no site da Fundação Amazônia Sustentável (FAS).

A consulta é uma das ações do Telesseminário SUS na Floresta – Saúde Ribeirinha, que ocorre na próxima terça-feira, dia 4 de maio, das 8h às 12h.

No site (bit.ly/3e3N0qi), existem duas enquetes abertas, uma destinada ao público geral e outra destinada a ACS e AIS. Em cada uma delas, a população pode ajudar a identificar os principais gargalos da saúde em comunidades isoladas, além de propor soluções para que estas pessoas tenham mais qualidade de vida.

Continua depois da publicidade

As informações coletadas na consulta pública serão discutidas durante o teleseminário e poderão resultar em ações efetivas nas comunidades.

Telesseminário

O Telesseminário SUS na Floresta – Saúde Ribeirinha vai debater soluções no atendimento de saúde das populações amazônicas. O evento online é aberto, gratuito e pode ser acessado pelo aplicativo zoom, através do link: abre.ai/cDxC.

O público alvo do seminário são equipes municipais de saúde (gestores e técnicos), líderes e  representantes de populações ribeirinhas, acadêmicos, pesquisadores e interessados em geral no tema de saúde.

Idealizado pela FAS, os telesseminários fazem parte do projeto SUS na Floresta, desenvolvido em parceria com o programa “Todos pela Saúde”, que busca cooperar com o aprimoramento dos sistemas de atenção básica de saúde em territórios indígenas e localidades ribeirinhas, visando a promoção da saúde, do cuidado na qualidade de vida e do bem-estar de indígenas e ribeirinhos, a partir de um sistema de saúde conectado às suas especificidades e necessidades.

Aliança

O projeto surgiu dentro da Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras da Amazônia para o Enfrentamento do Coronavírus, iniciativa coordenada pela FAS em conjunto com mais de 100 instituições, empresas e prefeituras para combater a pandemia no interior do Estado.

Foi a partir do trabalho feito pela Aliança em comunidades remotas que se comprovou a necessidade de ajustar o Sistema Único de Saúde (SUS) à realidade amazônica.

*Com informação da assessoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em