24.5 C
Manaus
quarta-feira, janeiro 23, 2019

Com atraso de pagamento a empresas, médicos prometem paralisação de cirurgias eletivas no AM

Com os pagamentos atrasados desde agosto deste ano, os representantes das empresas médicas que prestam serviços de saúde para o Governo do Amazonas decidiram, na noite desta terça-feira (14), durante reunião, que irão paralisar as cirurgias eletivas no estado a partir da próxima quarta-feira (21). Os atendimentos de urgência serão mantidos.

A reunião foi realizada na noite desta terça-feira (14), no auditório do Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (CRM), no bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus. Estavam no local representantes de 14 empresas médicas. Eles vestiam camisas com a frase “Salários atrasados – SOS – Governador pague os médicos”.

Uma das representantes

Érika Loureiro, diretora de uma empresa médica, disse que, até o momento, não houve nenhuma resposta do Estado sobre os pagamentos que estão em atraso.

“Não tivemos nenhuma resposta exata de governo quanto a prazos e valores de pagamento. Por isso, nós contiunamos fazendo outra conduta, outras reuniões para traçarmos estratégias”, disse.

Durante a reunião

Em relação ao pagamento das empresas médicas, o secretário de saúde, Francisco Deodato disse que o Estado tem conservado o mesmo.

“Não tem atraso porque tem fluxo de pagamento mês a mês. O governo chegou e se comprometeu de que todos os meses faria pagamentos. Fizemos 13 pagamentos, estamos há 13 meses”, afirmou.

O pronunciamento que o secretário realizou perante aos representantes das empresas médicas causou indignação.

“Aqui desse lado não existem mentirosos. Jamais faríamos um movimento se não tívessemos respaldados pelo o que dizemos. Faço questão de mostrar o último pagamento efetuado pelo governo do Estado que foi no mês de setembro, com a competência reletiva a julho. Os salários estão atrasados sim”, comentou José Francisco, presidente do Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas (ICEA).

Segundo o grupo médico, o Governo vai tentar conseguir autorização para transferir recursos do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) e do Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES), para pagamento de empresas médicas que prestam serviços na saúde.

O ato para conseguir esta autorização deve ser realizado nesta quarta-feira (14), na Assembléia Legislativa do Estado (Aleam). No entanto, o Governo pretende utilizar apenas 50% desses recursos na saúde do Amazonas e o outros 50% seriam usados no setores da administração pública. Os representantes das empresas querem que, os 100% dos recursos sejam voltados para a saúde. Cerca de R$ 160 milhões deve ser remanejado pelo Estado.

Fonte: G1 AM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.