O evento vai acontecer no Maison du Brésil. Foto: Reprodução Internet
O evento vai acontecer no Maison du Brésil. Foto: Reprodução Internet

Arquitetos que executam obras na Amazônia apresentarão projetos autorais a partir desta sexta-feira (19), na exposição “A Amazônia em construção: a arquitetura dos rios voadores” (L’Amazonie en construction: l’architecture des fleuves volants), em Paris, na França.

O evento segue até o dia 3 de agosto, na Maison du Brésil – edifício que comemora 60 anos e foi produzido pelo arquiteto suiço Le Corbusier.

Os nomes na área da arquitetura que representarão a região amazônica são Severiano Porto, Roberto Moita, Karina Vieiralves, Laurent Troost e Marcelo Borborema.

O evento é organizado pelo Núcleo Amazonas (NAMA), Revista Amazônia Moderna e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Esta é a primeira vez que a Amazônia será exibida na Europa sob o olhar da arquitetura e tem entrada gratuita no país.

Para participar da exposição, os projetos passaram por uma curadoria especializada, liderada pelo Prof. Dr. Marcos Cereto, da Ufam.

Ele foi convidado pela Maison do Brésil em Paris para fazer a exposição sobre arquitetura na Amazônia e escolheu os trabalhos.

O evento na França contará com obras de profissionais de outros estados brasileiros. Também serão expostas produtos de grandes arquitetos brasileiros, como Lelé, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer.

Representante do time amazonense que vai a Paris, a arquiteta e urbanista, Karina Vieiralves, conta que apresentará na exposição o projeto da Fundação Matias Machline, antiga Fundação Nokia, com obra executada em 2014 pela RD Engenharia.

Com a exposição na França, a arquiteta espera que seja lançado um novo olhar para a região da Amazônia.

“Justamente que um novo olhar seja lançado para nossa região, vendo que aqui produzimos Arquitetura de qualidade, valorizando o fato de estarmos em meio à floresta e não ser necessário construirmos baseados apenas em um regionalismo caricato, muito pelo contrário”, disse.

Outro integrante da “equipe” do AM que participará do evento, o arquiteto Marcelo Borborema, afirmou que estava feliz, pois a exposição na França valoriza o trabalho desenvolvido na Amazônia.

Como Karina, o amazonense apresentará também um projeto da Fundação Matias Machline, antiga Fundação Nokia.

“Em Paris, é a primeira vez pra todos nós. Na verdade é a primeira vez que a arquitetura da Amazônia brasileira é tema de uma exposição específica na Europa. Estamos muito contentes com esse momento inédito, que valoriza o nosso trabalho e traz a construção na Amazônia como tema de reflexão”, comemorou.

Obras

A curadoria escolheu obras de Álvaro Vital Brazil, Aleph Zero, AMZ Arquitetos, Brasil Arquitetura, Cris Xavier, Diogo Lazari, João Castro Filho, Joaquim Guedes, José Afonso Portocarrero, José Bina Fonyat, Karina Vieralves, Laurent Troost, Lelé, Lucio Costa, Mario Emílio Ribeiro, Rosenbaum, Mércia Parente, Oscar Niemeyer, Oswaldo Arthur Bratke, Patrícia O’Reilly, Paulo Antunes Ribeiro, Paulo Chaves, Roberto Burle Marx, Roberto Moita, Severiano Porto, Vicente Mas Gonzales e Vilanova Artigas.

Estes trabalhos mostram diversos interpretações possíveis para a arquitetura e as cidades na Amazônia, sem constituir um monolito, mas uma Amazônia em construção.

As fotografias são de Marcel Gautherot, Leonardo Finotti, Maíra Acayaba, Cristobal Palma, Hugo Segawa, Rogério Assis, Severiano Porto, Gonzalo Melgar, Luciano Spinelli, Daniel Ducci, Juscelino Simões, Jean Dallazen, Carlos Blau, Antônio Junqueira, José Afonso Portocarrero e Ruy Tone.

A exposição conta com a apresentação do filme Cidade ameríndia e metrópole neoindígena com a Direção de Isa Ferraz Grinspum.

Leia Também: Obras do Prosamim no São Raimundo interditam ruas em Manaus
Fonte: ACrítica

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.