Foto – Jackeline Brazão / Manaus Previdência
Foto – Jackeline Brazão / Manaus Previdência

A Previdência da Prefeitura de Manaus fechou o mês de junho registrando um novo recorde: a rentabilidade da carteira de investimentos superou a marca dos 10%, percentual alcançado com seis meses de antecedência, à medida que essa era a meta para ser atingida durante todo o ano de 2019.

No período, também superou a marca de R$ 1 bilhão somente no Plano Previdenciário, sem a soma do Plano Financeiro e nem da taxa de administração. Atualmente, a carteira total de investimento da Previdência municipal é de R$ 1,064 bilhão.

A boa notícia foi uma das pautas da 12ª Reunião Ordinária do Comitê de Investimentos (Cominv) da Manaus Previdência, realizada na manhã desta quinta-feira, 11/7.

Para o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, essa é mais uma conquista da Previdência, que mostra a saúde financeira do órgão.

Segundo a diretora-presidente em exercício da Manaus Previdência, Lyvia Guimarães, o resultado comprova que a Superintendência de Investimentos junto com o Comitê de Investimentos vêm administrando com excelência a carteira previdenciária.

“Hoje (quinta), consolidamos um resultado muito positivo, conforme demonstrado no relatório mensal de junho, atingindo a meta atuarial anual em seis meses, reflexo do trabalho desenvolvido com muita responsabilidade e competência de toda a equipe”, destacou.

O superintendente de Investimentos da Previdência e presidente do Cominv, Flávio Castro, destaca que o alcance de rentabilidade de 10% é muito significativo em se tratando de mercado financeiro, devido à existência de vários fatores que dificultam esse desempenho.

Entre eles, a estagnação da taxa de juros básica da economia, a Selic, em 6,5% desde o início de 2018.

“Então, para quem quer uma rentabilidade maior que o 6,5% da Selic, tem que buscar isso em ativos de risco. É o que fazemos desde o ano passado, mas sempre com muita análise e responsabilidade”, diz.

A partir desse entendimento, o Cominv, lembra Castro, mudou a sua postura e avançou nos critérios de análise de um fundo. Somente o desempenho no passado não credencia um fundo a receber os investimentos da Previdência.

Também são levados em conta o momento atual e as perspectivas do mercado financeiro.

Cumprida a meta de rentabilidade com muitos meses de antecedência, Castro diz que o objetivo, agora, é trabalhar para aumentar o percentual, sem perder a atenção às nuances do mercado, a fim de evitar qualquer surpresa negativa no desempenho da bolsa.

“Afinal, a bolsa pode mudar a qualquer momento. Por isso, nos reunimos a cada 15 dias e até mais, se for necessário, para acompanharmos os humores do mercado”, diz.

Além do alcance da meta, a reunião do Cominv nesta quinta-feira debateu o cenário do mercado para julho e as projeções até dezembro. Também foram verificados os desempenhos dos fundos, a fim de avaliar a necessidade de relocação de recursos.

Presidida por Castro, a 12ª Reunião Ordinário do Cominv contou com a presença dos membros Suani Braga, Caio Andrade, Marcelo Magaldi, Fernando Krichanã, Carolinne Santos e Jânio Guimarães, além da diretora-presidente em exercício da Manaus Previdência e diretora de Administração e Finanças, Lyvia Guimarães.

Leia Também: Cônsul honorário de El Salvador adere Frente Parlamentar para criação de polo
Fonte: Prefeitura de Manaus

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.