Mais de 700 pessoas aguardam por cirurgia no Hospital Francisca Mendes, em Manaus
Foto: Divulgação

Salas de cirurgias vazias enquanto mais de 700 pessoas, algumas em estado grave, aguardam por um procedimento médico.

Este é o quadro atual do Hospital Francisca Mendes, considerado uma referência em cirurgias do coração na Região Norte e que foi fiscalizado nesta sexta-feira (8) em Manaus.

De acordo com o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), a unidade de saúde realiza apenas uma cirurgia por dia, diferente da recomendação do Ministério da Saúde, de no mínimo três.

O Ministério constatou que o número elevado de pessoas na fila ocorre por conta da falta de insumos e equipamentos cirúrgicos.

A promotora de Justiça, Silvana Nobre, afirma que atualmente o critério para a realização dos procedimentos não é a gravidade de cada paciente.

“Hoje o critério é o equipamento, o material disponível para atender os pacientes. Atualmente, é feita uma cirurgia por dia no Francisca Mendes porque não há os materiais necessários para se atender no mínimo três e, assim, chegar no teto que hoje é definido pelo Ministério da Saúde para o hospital”, disse.

O MPE informou que apenas três das oito sala de atendimento pós-operatório do hospital estão em funcionamento e que das cinco salas de cirurgias, duas estão desativadas.

Na UTI pediátrica, duas salas de cirurgia também estão paradas devido a falta de equipamentos e de manutenção. No local, uma máquina de esterilização está parada há dois meses.

Silvana Nobre afirma que as condições do Hospital Francisca Mendes, além da demora no atendimento, causam preocupação.

“Nós temos uma fila histórica grande de pacientes na cardiologia para fazer cirurgias. Essa fila ela não reduz porque é uma demanda que se retroalimenta. A informação que nós obtivemos, inclusive de especialistas médicos do próprio hospital, é que essa fila de espera causa uma mortandade de 15% dos pacientes que estão lá”, comentou Silvana.

A promotora informou ainda que exigiu providências por parte do Governo do Amazonas, que é alvo de uma ação civil pública.

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) informou em nota que está ciente dos problemas estruturais e das filas para cirurgia cardíaca no Hospital Francisca Mendes.

Ainda segundo a nota, o secretário de saúde e vice-governador, Carlos Almeida, iria se reunir nesta sexta com a direção do hospital para tratar das questões identificadas pelo Ministério Público.

Fonte: G1 AM

1 COMENTÁRIO

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.