Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Acordo Brasil x EUA vai beneficiar AM se governo estadual abrir Mercado do Gás Natural, diz Josué

Publicado em

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PRTB), afirmou nesta segunda-feira (19) que o acordo de cooperação entre Brasil e Estados Unidos, anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro, pode beneficiar o Amazonas com geração de novos empregos e investimentos.

Mas para isso, segundo ele, ainda é necessário que o Governo do Amazonas envie ao Parlamento a Nova Lei do Gás.

“O Governo do Amazonas precisa cumprir a regulamentação do mercado do gás no Estado conforme prometeu publicamente ao povo do Amazonas, logo após vetar a lei aprovada no Parlamento em abril deste ano”, disse Josué.

Continua depois da publicidade

Leia também: Batalhão Ambiental apreende cargas ilegais em embarcações, no rio Solimões

Durante a Conferência de negócios US-Brazil Connect Summit, sobre acordos para facilitação de investimentos e comércio entre Brasil e EUA, Bolsonaro citou os mercados do Gás Natural e outros biocombustíveis como áreas que podem ser desenvolvidas em parceria com os Estados Unidos, para gerar emprego e renda, promover o desenvolvimento sustentável e aumentar a oferta de energia barata para a população e indústria brasileira.

“Estamos abrindo o Mercado de Gás Natural o que aumentará a oferta de energia barata para população e indústria. Os biocombustíveis também são necessários nesse processo de reforma de nossa matriz energética, contribuindo para que essa seja uma das mais limpas do planeta. Estou certo de que, também nessa área há muito trabalho conjunto que podemos realizar com os Estados Unidos da América”, disse Bolsonaro.

A regulamentação federal do Novo Mercado do gás, que visa reduzir o preço do gás natural em todo o Brasil, já está em discussão no Senado. A legislação, no entanto, não dispensa a mudança na legislação estadual que precisa ser feita pelos governadores.

Bolsonaro diz que mercado do Gás Natural pode ter ser desenvolvido em acordo com Estados Unidos

O presidente da República, Jair Bolsonaro, citou nesta segunda-feira os mercados do Gás Natural e outros biocombustíveis como áreas que podem ser desenvolvidas em parceria com os Estados Unidos, para gerar emprego e renda, promover o desenvolvimento sustentável e aumentar a oferta de energia barata para a população e indústria brasileira.

Bolsonaro falou sobre o assunto durante a Conferência de negócios US-Brazil Connect Summit, sobre acordos para facilitação de investimentos e comércio entre Brasil e EUA.

O presidente disse que as transformações que ambos os países estão fazendo em sua matriz energética fazem parte das medidas que vão ajudar o país a superar as dificuldades econômicas ocasionadas pela pandemia do Covid-19.

“Estamos abrindo o Mercado de Gás Natural o que aumentará a oferta de energia barata para população e indústria. Os biocombustíveis também são necessários nesse processo de reforma de nossa matriz energética, contribuindo para que essa seja uma das mais limpas do planeta. Estou certo de que, também nessa área há muito trabalho conjunto que podemos realizar com os Estados Unidos da América”, discursou o presidente Bolsonaro.

Para o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) e autor do projeto de lei que previa abertura do Mercado do Gás no Estado, deputado Josué Neto, o acordo trará grandes benefícios para o povo e para a indústria do Amazonas, principalmente na geração de energia barata, empregos e renda.

Atualmente o Amazonas tem 16 blocos aptos a exploração de gás em 16 municípios, mas ainda falta regulamentação estadual.

“O Governo do Amazonas precisa cumprir a regulamentação do Mercado do Gás no Estado conforme prometeu publicamente ao povo do Amazonas, logo após vetar a lei aprovada no Parlamento em abril deste ano”, disse Josué.

A regulamentação do Novo Mercado do gás, que visa reduzir o preço do gás natural em todo o Brasil, já está em discussão no Senado. A legislação, no entanto, não dispensa a regulamentação estadual que precisa ser feita pelos governadores.

Nova Lei do Gás

Nesta quinta-feira (22), a Nova Lei do Gás, já aprovada pela Câmara dos Deputados poderá ser votada no Senado Federal, em Brasília.

A norma muda as regras para o mercado de gás natural no Brasil e pretende quebrar o monopólio da Petrobras, atrair competitividade para o setor e, assim, baratear o insumo.

A proposta – assim como o novo marco do saneamento– é vista como 1º incentivo para a retomada econômica depois do pico da pandemia de Covid-19 por meio de investimentos da iniciativa privada.

Fonte: ChumboGrosso

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X