Uma exposição com 30 peças fotográficas que exaltam o Teatro Amazonas e seu entorno é a proposta do projeto “Minha Cultura, Meu maior Patrimônio”, que acontece no Centro Cultural Usina Chaminé, a partir de hoje e segue até fevereiro de 2018. O evento tem entrada gratuita e é realizado com apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Os registros fotográficos foram feitos por alunos do Núcleo de Artes do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), com idades entre 10 e 14 anos. A coordenação do projeto ficou a cargo da professora mestre Denise Bezerra Rodrigues e a curadoria artística é do artista plástico Otoni Mesquita.

“A exposição é realizada por um pequeno grupo de estudantes que participam de uma iniciação científica na defesa do patrimônio e na ligação afetiva com a cidade, transformando-os em guardiões do patrimônio”, declara o artista. “O patrimônio ganha mais relevância, e assim nós esperamos que a nossa população se envolva mais a partir desses olhares sobre a cidade junto com os olhos da juventude”, complementa Otoni Mesquita.

Projeto

A professora Denise explica que a exposição está vinculada ao projeto de Educação Patrimonial do Programa Ciência na Escola (PCE), no qual os alunos recebem uma bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). “Funciona como uma alfabetização científica dentro do tema de educação patrimonial. Eles aprendem sobre este conceito, fazem leituras e uma das fases também é o registro fotográfico. Escolhi este tema porque estudamos dentro de um patrimônio, que é o IEA, e queremos que eles tenham este sentimento de pertencimento com o que é nosso, da escola deles e do entorno do Centro Histórico”, destaca.

O projeto também mantém um site (https://patrimoniomanaus.wordpress.com), onde é possível ver os bastidores das visitas aos patrimônios da capital.

Solidariedade 

As obras que ficarão expostas no centro cultural poderão ser adquiridas por um valor simbólico e a renda será destinada para o abrigo O Coração do Pai, que acolhe crianças em situação de risco pessoal e social. “As obras ficam na Usina Chaminé até fevereiro, mas o visitante pode comprar e pegar sua obra após o término da exposição. A ideia é fazer com que nossas crianças também ajudem outras crianças”, explica Denise.

Horários – A exposição fica no Centro Cultural Usina Chaminé até fevereiro de 2018. Os horários de visitação, até 29 de dezembro,  são de terça

Serviço

Local: Centro Cultural Usina Chaminé (Avenida Manaus Moderna, s/n – Centro)

Horário: De terça a sexta, de 9h às 14h e aos sábados, de 9h às 13h. Até fevereiro de 2018.

Entrada: Gratuita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here