Traços bem definidos, pinceladas coloridas, aplicações de pedrarias e muito glitter são alguns dos artifícios da maquiagem artística para dar vida aos personagens de “Ceci e a Estrela – O Natal na Floresta”. A cada récita, o grupo de visagismo e maquiagem do espetáculo faz um trabalho minucioso. De acordo com Eugênio Lima, coordenador da equipe, 14 especialistas são responsáveis pela caracterização do espetáculo.

“São 260 maquiagens a cada dia de espetáculo. Algumas são muito elaboradas e necessitam de mais tempo e dedicação”, comenta, citando as personagens Arati (vitória-régia) e Uirá (pássaro).

O trabalho começa cedo. Quatro horas antes do início de cada sessão do musical, a equipe inicia a maratona de makes. “Nossa equipe chega às 13h para organizar e higienizar o material e, às 14h, começa o processo de maquiagem, sempre pelos mais elaborados”, diz o coordenador. “Dedicamos de 20 a 30 minutos, no máximo, para cada personagem”.

Eugênio destaca que, mesmo com tanto tempo de antecedência, não há prejuízos para a maquiagem até a hora do elenco subir ao palco. “Não tem problema, pois trabalhamos com maquiagem de alta fixação e, por conta disso, quase não fazemos retoques”, afirma. “Usamos muito a Clown Make-up, que é específica para maquiagem artística e palco”.

Responsável pela concepção e criação das maquiagens, Eugênio destaca o trabalho realizado para a caracterização das personagens. “Dentro da criação, a gente tenta rebuscar ao máximo o que vai lembrar esse elemento, pois a maquiagem ajuda a dar vida ao personagem e complementa o todo: figurino, cenografia e até ajuda na interpretação”, pontua o coordenador.

Eugênio comenta os detalhes de alguns personagens de “Ceci e a Estrela”. Confira!

Anjo Gabriel

Para a make, foi feito um trabalho com arabescos e pedraria dourada.

“Tentamos fazer uma pele diferente, fugir do convencional do que é um anjo. Como estamos trabalhando com maquiagem de efeito, deixamos a pele mais cintilante, com dourado, para criar a aura do personagem”.

Uirá

No caso da Uirá, que é filha do Uirapuru, o forte são as cores.

“Usamos as cores do uirapuru e carregamos nos traços para lembrar que ela é um pássaro. Tentamos criar um elemento para que o púbico, olhando para o rosto dela, consiga fazer essa associação. Os cílios enormes fazem a diferença nessa criação”.

Arati

Em Arati, que é a vitória-régia, as cores e a folhagem dão a cara da personagem.

“As pedrarias e brilho complementam o trabalho”.

Borboletas

Leveza, brilho e pedrarias compõem a maquiagem das borboletas.

“As crianças também fazem os carneirinhos. Como elas trocam de personagem, tivemos que elaborar uma maquiagem que funcione para todos”, explica Eugênio.

O musical “Ceci e a Estrela, o Natal na Floresta” continua com sessões diárias até o próximo sábado (23/12), com acesso gratuito. Nos dias 20 e 21, quarta e quinta-feira, somente às 20h; e nos dias 22 e 23, sexta e sábado, em dois horários: às 18h e às 20h.

Ainda na sexta-feira e no sábado, o espetáculo será transmitido para o público, em um telão, no Largo de São Sebastião, às 18h e 20h.

Serviço

Local: Teatro Amazonas (Av. Eduardo Ribeiro, 659 – Centro)

Horário: Dias 20 e 21 somente às 20h; e nos dias 22 e 23, em dois horários: às 18h e às 20h

Entrada Gratuita

Classificação Livre

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here