Foto:Reprodução

Bruninho gosta de acionar os centrais nas jogadas rápidas. Aproveita bem os ponteiros quando estão inspirados. Mas quando o bicho pega, sabe que tem em Wallace a bola de segurança. Nos momentos de aperto no confronto com a França, o oposto foi a alternativa para furar a defesa adversária. Frio e muito centrado, o jogador do Taubaté até destoa do restante do grupo em algumas reações. Mas assim constrói seu sucesso. É o maior pontuador do Brasil no Mundial até o momento, com 32 pontos em dois jogos.

Wallace, assim como a maior parte dos opostos, que não têm obrigação de passe como os ponteiros, é habitualmente o principal atacante do time. Na campanha que culminou na conquista do ouro olímpico na Rio 2016 foi o maior pontuador do torneio, com 147 pontos – o segundo colocado, o americano Matthew Anderson, marcou 128. Teve ainda a segunda maior eficiência entre os atacantes, com 36%.

Em Ruse ainda é cedo para analisar tais estatísticas. Mas Wallace foi quem mais virou bolas nas vitórias sobre Egito e França. Só deixou a quadra brevemente para a entrada de Evandro, em ambos os jogos. E mesmo sofrendo com a marcação forte dos adversários, que sabem da importância de seu poderio ofensivo, sabe que precisa mostrar serviço em momentos de pressão.

– O oposto está ali para isso. Eu divido a responsabilidade com o próprio Lipe, com o próprio Douglas, que não está na função de ataque, ataque efetivo, está mais para o passe. Mas com certeza eu assumo esse papel de resolver alguns pepinos. O oposto está ali para isso.

Para quem tem um sorriso tão largo, Wallace o exibe relativamente pouco durante as partidas. Quase sempre mantém o semblante fechado, sério. Uma característica do “homem de gelo” do sexteto titular, que prefere ser impassível a oscilar conforme a partida se desenha.

Wallace é o maior pontuador do Brasil no Mundial até o momento — Foto: Divulgação/FIVB

Wallace é o maior pontuador do Brasil no Mundial até o momento — Foto: Divulgação/FIVB

– Nesses momentos acho que não se pode ir na euforia, e sim na base da razão. O pessoal às vezes me cobra muito: “pô, hoje você não sorriu, quando você sorri você joga melhor”. Eu já estou cansado de ouvir isso, só que tem momentos ali em que você está perdendo por um placar elástico e eu particularmente não consigo. Se eu sorrir não vou ser eu ali, não vai transparecer uma realidade minha. Por dentro eu estou indignado.

Nesta sexta-feira, o Brasil folga no Mundial – depois da rodada inicial cheia, duas equipes de cada grupo não jogam a cada dia. Na sequência, encara Holanda, Canadá e China. Jogos nos quais Wallace deve aumentar ainda mais sua coleção de pontos.

Fonte:GE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here