Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Toronto vence o Golden State e larga na frente na final da NBA

Publicado em

Era “apenas” o primeiro jogo da série final da NBA, mas para o Toronto Raptors, então debutando em decisões na Liga, a partida tinha sabor de conquista, já que abria em casa a série contra o poderoso e atual campeão Golden State Warriors.

Liderando o placar de ponta a ponta, a equipe canadense venceu os Warriors por 118 a 109 e largou na frente, abrindo 1 a 0 na final.

O destaque dos Raptors dessa vez não foi Kawhi Leonard, muito marcado pela defesa adversária.

Continua depois da publicidade

Quem surgiu com muita personalidade e estrela foi Pascal Siakam, que anotou 32 pontos – 14 deles apenas no terceiro quarto – e terminou como cestinha do time. Kawhi não foi mal, fez 23 pontos.

Outra peça fundamental na vitória do Toronto foi o veterano Marc Gasol, com 20 pontos no jogo.

Do lado do Golden State, Steph Curry fez um pouco de tudo. Procurou a cesta em infiltrações, matou suas bolas de três, mas não teve a companhia de seus colegas em nível de atuação. Curry terminou a partida como cestinha com 34 pontos.

As marcas de Siakam

o camaronês de 25 anos, que recebe apenas o nono salário mais alto da folha dos Raptors, teve uma estreia memorável na decisão.

Os 32 pontos anotados foram a maior marca de um jogador na primeira partida em uma Final da NBA desde 2012, quando Kevin Durant fez 36.

Durante o jogo, Pascal também chegou a converter 11 arremessos seguidos: melhor sequência de um atleta na decisão da Liga nos últimos 20 anos segundo o Elias Sports Bureau.

Golden State fora da zona de conforto:

a derrota em Toronto foi a primeira dos Warriors no Jogo 1 nas cinco finais consecutivas disputadas por Stephen Curry & Cia.

Foi também o primeiro revés de Golden State na abertura de uma série de playoff desde maio de 2016, encerrando série 12 vitórias seguidas – recorde na NBA.

O Jogo

Um começo de ritmo alucinante de ataques em transição provocou erros em ambos os lados e o Toronto acabou não aproveitando o clima positivo da torcida nos primeiros minutos.

Steph Curry, logo no período inicial, matou três bolas de três. Do lado dos Raptors, Kawhi Leonard recebia marcação dobrada a cada vez que pegava na bola, o que o obrigava a passar para quem estava livre.

Por vezes, Marc Gasol era o escolhido a receber o passe e fez duas cestas de três livre na parcial, aproveitando os espaços.

Kawhi Leonard terminou o período com apenas três pontos, mas Toronto soube capitalizar em cestas os espaços que sobraram do amontoado em cima do número 2.

Danny Green, por exemplo, que não vinha conseguindo acertar jogada onde é especialista, na linha dos três, converteu bola importante e levou a torcida ao delírio. Assim, o primeiro quarto terminou em 25 a 21 para o time da casa.

Logo no comecinho do segundo quarto, DeMarcus Cousins entrou na equipe dos Warriors depois de longa ausência por contusão no quadríceps e pareceu bem fisicamente, tentanto jogadas de contato no garrafão e arremessos.

Nos Raptors, Fred VanVleet e Serge Ibaka horaram a boa fase do banco da equipe da casa com cestas aos seus estilos: Ibaka no garrafão, VanVleet de fora.

Depois do inícnio muito forte de Curry e Thompson, os principais jogadores dos Warriors sofriam com a marcação dos Raptors e LIvingston e Cook acertaram cestas que deixaram o placar próximo no segundo quarto.

No Toronto, Marc Gasol mantinha o nível e em bela infiltração contra a marcação de Draymond Green abriu 44 a 41 na metade do segundo quarto.

Na sequência, Andre Iguodala até deu enterrada bonita, mas os Raptors engataram cestas com Siakam e Gasol, que aliás, carregavam o time da casa até então.

Ao fim do segundo quarto, o pivô espanhol tinha 14 pontos, Siakam 12 e Danny Green oito. Os Raptors foram para o vestiário com boa vantagem de 59 a 49.

Kawhi Leonard foi muito bem marcado no jogo — Foto: Dan Hamilton / USA Today

A partida recomeçou com pequeno show de Stephen Curry, com duas bolas de três e “jump” bonito.

O Toronto respondia com Siakam, muito bem na partida, e Kawhi Leonard, que aos poucos foi encontrando o ritmo.

Com um chute certeiro de Pascal Siakam, os Raptors abriram 75 a 68, mas Thompson, em resposta imediata, matou bola de três.

Parecia não ser noite de Kawhi, enquanto Marc Gasol e Siakam faziam as cestas para manter a distância que variava em torno de 10 pontos contra o Golden State.

Apesar da desvantagem no placar, eram os Warriors que ditavam o ritmo da partida, em ataques em transição, não deixando o Toronto dilatar a diferença.

Com uma bola de três, o jovem Alfonso McKinnie diminuiu para quatro pontos, mas àquela altura do terceiro quarto, faltando um minuto para o encerramento da parcial, os Raptors apostavam em seu craque para puxar os ataques.

Kawhi foi para o último quarto com 18 pontos marcados e os Raptors liderando o placar por 88 a 81.

Para o período derradeiro, o técnico dos Warriors Steve Kerr apostou em DeMarcus Cousins para ocupar um garrafão sem Marc Gasol, descansando pelo lado dos Raptors.

A opção deu certo para os visitantes, tanto que chegaram a encostar (90 a 87). Siakam apareceu mais uma vez para colocar a diferença novamente em sete pontos de vantagem e Kerr pediu tempo (94 a 87).

Na volta ao jogo, Siakam converteu gancho bonito, e Ibaka acertou um dos lances livres os quais teve direito depois de falta dura sofrida por Cousins.

Em seguida, Danny Green acertou livre de três, da zona morta, para abrir 100 a 88 e obrigar novo pedido de tempo para os Warriors.

Depois do papo com Steve Kerr, Iguodala deu bela assistência para Looney, roubou bola para cesta em contra-ataque e deixou o jogo em 8 pontos de diferença. Como resposta, Kawhi acertou de três marcado.

Para piorar a situação do Golden State, Thompson cometeu falta de ataque, reclamou muito, e foi punido com falta técnica.

Assim, com lance livre convertido por Kawhi, os Raptors abriram 106 a 94 no marcador.

Apareceu então o talento de Klay Thompson, talvez mordido pela falta técnica, passou a tomar conta das ações ofensivas dos Warriors.

Com uma cesta de três e linda bandeja reversa, deixou o jogo com 8 pontos de diferença, mas a resposta dos Raptors foi imediata: mais um “jump” certeiro de Gasol e cesta malabarista de VanVleet no estouro da posse de bola.

Ao fim, restou aos Raptors administrar os ataques, deixando o cronômetro ao limite para minar o tempo de reação do Golden State.

Ainda assim, Curry conseguiu cavar falta na linha dos três e tirou Gasol do jogo, eliminado com seis faltas. Steph acertou os três lanes e faltando 1:14 para o fim a diferença era de sete: 113 a 106.

Foi aí que o herói da partida reafirmou sua força. Pascal Siakam esperou o cronômetro quase zerar para puxar o ataque fazer mais dois pontos. Para completar, Kyle Lowry matou bola de três e definiu a vitória dos Raptors, por 118 a 109.
Categoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X