Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Michelle Obama conversa com atletas da NBA e WNBA sobre justiça racial

Publicado em

A ex-primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, conversou nesse domingo (26), por meio de uma chamada de vídeo, com alguns atletas da NBA e WNBA.

Na pauta, o uso das plataformas para tratar de questões de justiça racial e a  conscientização a respeito da importância do voto.

Como não poderia deixar de ser, a morte covarde e injustificada de George Floyd continua repercutindo e gerando protestos e debates, nos Estados Unidos, para o problema do racismo sistêmico na sociedade norte-americana.

Continua depois da publicidade

C.J. McCollum, ala-armador do Portland Trail Blazers e membro do Conselho Executivo da Associação de Jogadores (NBPA), fez questão de participar da chamada com a ex-primeira-dama e destacou a possibilidade de ser ouvido.

Leia também: Mugello, Imola e Portimão: O que esperar das novidades na F1 2020

A conversa foi além dos propósitos educacionais e a possibilidade de fazer perguntas sobre a importância do voto e como podemos continuar capacitando nossos irmãos e irmãs a votarem, e o que isso significa não apenas no nível nacional, mas no nível estadual e local”.

“É sobre o tipo de impacto que podemos ter como um todo, como afroamericanos e negros em uma posição de poder, e como podemos continuar a espalhar essa energia positiva”, confidenciou McCollum ao jornal USA Today.

Twitter

A armadora do New York Liberty, Layshia Clarendon, que também é vice-presidente da Associação de Jogadoras (WNBPA), utilizou o seu perfil oficial no Twitter para comentar sobre a conversa com Michelle.

“A Primeira Dama enfatizou a importância de votar não apenas nas primárias, mas também nas eleições de meio de mandato e locais. Ela disse que falar sobre injustiças e não ir votar é como treinar o arremesso sem treinar os dribles! Quando perguntada sobre os jovens saindo para votar, ela também disse que temos que perceber que estamos votando pelo meio ambiente, saúde, justiça criminal, etc”, afirmou Layshia.

O veterano armador do Oklahoma City Thunder, Chris Paul, que também ocupa o cargo de presidente da NBPA, revelou que os jogadores concordaram em gastar US$300 milhões em questões de justiça social.

Paul considera importante mostrar que os esforços do atletas precisam ir além de mensagens nas costas de suas camisas.

“Queremos ver mais negros e pardos nos grandes escritórios das franquias, mais negros em posições de poder, não apenas treinadores. Estamos falando de chefes de organizações. Queremos ver isso e conversamos com a liga sobre isso. As camisas fazem parte disso, mas sabemos que precisamos do dinheiro e do financiamento para realmente fazer a mudança”, disse Paul.

Fundo

Paul e seus dois grandes amigos no basquete – o ala Carmelo Anthony, do Blazers, e Dwyane Wade, maior ídolo do Miami Heat – lançaram um Fundo de Mudança Social, que investirá e apoiará organizações que defendem comunidades de cor através de soluções políticas de longo prazo, representação da comunidade e mudança narrativa.

“Precisamos de mais conversas como essas com a Michelle para enfatizar a importância do que significa votar e como ela está votando. Nós a apoiamos em 1000%. Eu já estou usando minha plataforma. A única coisa que posso continuar fazendo é continuar usando a minha voz e mantendo essas conversas vivas. Nós não vamos ficar quietos. Vamos continuar conscientizando sobre os problemas que estamos enfrentando”, afirmou Anthony.

Vale destacar que os jogadores da WNBA e da NBA, ambos competindo em suas respectivas bolhas, na Flórida, se uniram para usar os jogos como plataforma para difundir o movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e promover a justiça social e combater o racismo sistêmico.

Fonte: Jumper Brasil

Categoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X