Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Empoderamento econômico, protagonismo e a independência das mulheres

Um bate-papo com Anna Deflon, 23 anos, curitibana, publicitária e atualmente, trabalha com marketing digital e palestrante do projeto Dona de Mim

Publicado em

Nos últimos anos, o Brasil vem crescendo na construção do cenário econômico e o empreendedorismo tem sido estratégico para estimular um processo simultâneo de inclusão e de ascensão social. E nesse contexto, as mulheres estão se destacando e ganhando, cada vez mais, espaço e liderança no mercado.

Cada vez mais, elas buscam empreender, pois muitas delas querem uma atividade rentável que possa ser construída de forma autônoma, independente e sólida.

Anna Deflon, 23 anos, curitibana, publicitária e atualmente, trabalha com marketing digital e palestrante do projeto Dona de Mim. Em seu perfil @annadeflon no Instagram, aborda uma série de conteúdos que auxiliam e inspiram outras mulheres a darem um UP em sua carreira profissional.

Continua depois da publicidade

Apaixonada por viagem já conheceu 06 países, Argentina, Chile, Uruguai, Panamá, EUA e África do Sul. Deflon também aborda temas de autoestima, independência e os desafios que a mulher enfrenta para construir sua carreira.

A publicitária afirma que se reinventar, faz parte da trajetória profissional. É por meio desse processo que é possível alcançar novos patamares em nossas carreiras. “Quando queremos alçar novos voos precisamos olhar para dentro e ver quais pontos é preciso evoluir para chegar onde queremos, mais importante que reinventar é re-significar, existem várias situações em nossas vidas que não podemos fugir do problemas mas precisamos olhar para ele e ver o que precisamos aprender”.

Até mesmo o mercado precisa se transformar constantemente. Novas demandas, tecnologias, tendências, concorrentes, tudo isso acaba fazendo com que as empresas tenham que mudar de perspectivas e traçar novos caminhos.

O mesmo acontece com os profissionais. Saber se reinventar é um requisito mínimo atualmente. Não se trata apenas se adaptar as novidades, mas, também, de buscar um aperfeiçoamento constante na carreira.

Empoderamento econômico, protagonismo e a independência das mulheres
Ilustração: Rawpixel/Freepik

Leia mais: A cultura do cancelamento: os efeitos, as consequências e a intolerância

Para Ana a vida pessoal/familiar serviu de base sólida para ressignificar valores e qual missão assumiria para evoluir em sua jornada. “Perdi minha mãe em um acidente de carro quando eu tinha 18 anos, eu estava junto nesse momento e depois de um trauma tão grande eu tinha 2 opções chorar ou vencer, então eu escolhi a segunda opção. Eu nunca fui a melhor aluna da sala mas sempre me destaquei fazendo o que amo que era falar sobre as coisas que aprendi, então quando palestrei pela primeira vez no Dona de Mim, para mais de 450 mulheres eu percebi que estava indo para o caminho certo”, finaliza Deflon.

E a publicitária não para por aí, a mudança de visual também lhe acompanha em suas aventuras, a cada desafio uma nova versão, “eu sempre gostei de mudar e me colocar em novos desafios, mas o cabelo em si partiu de uma auto imagem deturpada e o comentário de muito que me conheciam apenas pelo cabelo, em um dia durante a pandemia comentei que queria trocar meu estilo de cabelo e um colega falou “você vai perder sua identidade”, foi um gatilho para mim, porque um cabelo representa mais do que sua inteligência, seu trabalho ou afins. Raspar o cabelo foi um ato de coragem para mim e para todas as mulheres que sentem-se reprimidas em uma sociedade tão patriarcal”, afirma Ana.

O Dona de Mim

O Brasil vem avançando na construção de um modelo de desenvolvimento econômico acompanhado de um cenário que vem ganhando forças através das mulheres e estão cada vez mais em posição de protagonismo. “Faço parte de um movimento chamado Dona de Mim, que tem como objetivo a equidade de gênero, onde ensinamos sobre empreendedorismo, autoconhecimento e carreira para mulheres e homens que também apoiam o movimento. Nesse projeto já treinamos mais de 1200 pessoas”.

E afirma, “acredito sim no protagonismo feminino, e que a cada dia nós ganhamos mais forças para mostrar ao mundo nossos talentos, mostrar que somos plural e não podemos ser definidas por nada nem ninguém”.

Princípios de Empoderamento das Mulheres

A ONU Mulheres e o Pacto Global criaram os Princípios de Empoderamento das Mulheres, que consiste em ajudar a comunidade empresarial a incorporar em seus negócios e no mercado, valores e práticas que visem o empoderamento econômico de mulheres e a equidade de gênero.

Veja abaixo os sete princípios:

1) Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível;

2) Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não discriminação;

3) Garantir a saúde, a segurança e o bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa;

4) Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres;

5) Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres por meio das cadeias de suprimentos e marketing;

6) Promover a igualdade de gênero por meio de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social;

7) Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

Por fim, a publicitária deixa um recado para os leitores da Tipo, “se um dia você pensar em desistir olhe para trás e veja quantas pessoas já se inspiraram em você e na sua história, pode ser alguém da sua família ou seus amigos, mas sempre haverá alguém, então nunca desista de tentar ser quem você é e mostrar para que veio”.

Para conferir os trabalho da Ana Deflon e acompanhar suas dicas, experiências e ficar por dentro das tendência do mundo digital, acesse o link: https://www.instagram.com/annadeflon/

 

Leia mais: Psiquiatria: um bate-papo sobre atenção e sensibilidade
Categoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X