EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

O poder da visão e do propósito pessoal

Publicado em

Li certa vez em um livro que, quando Walt Disney inaugurou seu tão sonhado parque temático, como ele mesmo dizia, a sua “fábrica de sonhos”, tinha dias que ficava horas olhando para um ponto do terreno. Um dia, um funcionário não resistiu e perguntou:

– Sr. Disney, não fique chateado, mas o que o senhor tanto olha para esse imenso espaço vazio?

Disney deu um sorriso e respondeu:

– Olho a grande montanha, rapaz. A minha linda e inigualável montanha.

Disney falou aos seus arquitetos a sua grande ideia, e eles baseados em sua visão montaram um grandioso projeto. Infelizmente, Disney morreu antes que a Space Mountain  (Montanha Espacial) ficasse pronta.

Durante a inauguração estavam presente muitas autoridades e, também, a viúva de Walt Disney. Durante o discurso um dos convidados lamentou que Disney não tivesse vivo para ver a Monumental Montanha Russa. Durante suas palavras, a Senhora Disney, disse:

– “Tenho que fazer uma correção a algo que fora dito aqui. Meu marido, Walt Disney viu a montanha sim, nós é que só agora estamos vendo”.

Este é o poder da visão! É materialização de um desejo… um sonho… uma intenção genuína. Este feito só é possível para uma mente preparada e motivada por uma fé inabalável de que tudo é possível.

Leia Também: O poder do desejo

AFINAL, O QUE PODEMOS CHAMAR DE VISÃO

A visão é simplesmente o reconhecimento do propósito da sua vida.

Sou consultor e palestrante há mais de quinze anos. Em minhas andanças entrando em contato com milhares de pessoas, sempre que surge uma oportunidade pergunto para as pessoas sobre seus sonhos e objetivos a curto, médio e longo prazo.

O impressionante é que, a grande maioria não sabe responder, o que a meu ver, seria a coisa mais importante de suas vidas.

Uma pessoa que não conhece seu propósito de vida, jamais poderá ter uma vida plena e realizada. Será um vagante pelo planeta terra, sem saber exatamente o que está fazendo aqui.

Costumo dizer em minhas palestras, principalmente, para os jovens, que nascemos para ser distintos. Cada um de nós é possuidor de um dom especial e um propósito capaz se nos tornar únicos.

Deixe-me contar-lhes uma história:

Um mestre observava entre seus discípulos uma briga constante por status e reconhecimento. Numa determinada ocasião, dois discípulos discutiam acirradamente por questões de privilégios.

Diante da situação, o mestre interveio.

Em tom de autoridade pediu silêncio, e depois com a voz muito calma, ergueu sua mão direita espalmada e perguntou a todos:

– Qual desses dedos da minha mão é o mais importante?

”Os discípulos entreolharam-se surpresos com a pergunta, e depois de alguns minutos de silêncio, um deles timidamente respondeu:

– Seria o dedo polegar, senhor? Outro então disse, não está vendo que é o indicador. Foi então que outro falou, eu acho que é o dedo anelar.

O Mestre, então gritou: – Calem-se! Pois estão todos errados.

E em tom de doutrina disse:

– Não existe um dedo em minha mão que seja mais importante do que o outro. Todos têm a mesma importância. A mão, como instrumento realizador, para fazer seu trabalho mecânico com perfeição precisa de todos eles, pois cada um realiza uma função específica. Assim, acontece com cada um de vocês. Não existe nesse mosteiro nenhum melhor que o outro. É a soma dos talentos e da individualidade de cada um, que nos permite ser eficazes.

Os discípulos perceberam a sabedoria do mestre e passaram a viver a partir dali de forma bastante harmônica e cooperativa.

Deus nos fez de forma muito especial, isso se aplica a cada um de nós, sem exceções. No grande plano da vida, cada ser tem um papel fundamental e importante.

Nós viemos ao mundo para deixar nosso nome gravado na história. O nosso legado será nossa imortalidade. Por isso, conclamo você a romper as barreiras da limitação e ocupar um lugar que é seu no topo.

A visão é a expressão da sua própria essência, sendo que sem ela não haverá razão para existir.

QUAL A ORIGEM DA VISÃO?

Todos nós temos uma missão a cumprir nesse planeta. Deus é presente em tudo e não há nada no universo sem um propósito.

Quando o assunto é religião procuro ser muito cauteloso, pois a existência de muitos dogmas e crenças fizeram da fé teológica um campo minado. Mas apesar da controvérsia que posso levantar, para explicar minha tese faz-se necessário expor minhas convicções a respeito da vida após a morte e reencarnação.

Mas que fique bem claro, que respeito qualquer outra forma de pensar, e jamais quero colocar isso como sendo uma verdade absoluta. Pois uma coisa que aprendi, que a minha verdade e a sua estão bem distantes da verdade absoluta.

Vamos lá com minha posição: todos nós, enquanto espíritos, temos o desejo de experimentar a vida na matéria, com o objetivo de evoluir através da experimentação de sentimentos humanos.

Acredita-se que tudo que vamos viver é previamente escolhido, desde nossas condições genéticas, através da escolha de nossos parentes, o país e a cidade que vamos viver, as pessoas e experiências que vamos ter, enfim, tudo.

Após todo o planejamento celestial, e na hora marcada, a Centelha Divina projeta-se para a terra e encarna no momento do nascimento, adentrando a matéria pela primeira inspiração (o sopro de vida). Antes desse ato, ou seja, do momento da concepção até a hora do parto, o espírito está apenas ligado energeticamente ao corpo, através de fluídos astrais.

Acontece, que no momento desse encarne, o espírito passa pelo vácuo do esquecimento. Isto acontece para que o espírito não seja influenciado por suas lembranças existenciais durante essa nova vida. São colocados implantes de percepção, que permitem apenas que ele tenha acesso a informações primordiais para sua existência.

Onde eu quero chegar?

Se há um bloqueio da consciência, o espírito fica sem ter uma visão clara do seu propósito.

Diante de tudo isso fica a pergunta: como saber a real missão que cada um veio fazer aqui nesse planeta?

A resposta é aprender a seguir a intuição.

A palavra intuição tem um significado que vai além da etimológica. Espiritualmente falando, ela representa a ligação que temos com nossa condição Divina. Ela é como se uma fresta de luz fosse aberta nos trazendo informações sobre a nossa verdadeira essência e, também, porque não dizer da sabedoria Universal.

Todos nós, como seres espirituais temos intuições, sendo que depende muito do grau evolutivo de cada um, quanto mais evoluído é o ser, menores serão suas amarras com a matéria, permitindo-lhe assim acessar informações do Astral.

Então, como vinha falando, temos que nos manter conectados com nosso Eu Divino, para ser intuído a receber informações importantes de nossa missão aqui.

Há espíritos que passam por aqui e, por não conseguirem lembrar de nada, acabam por deixar esse plano com sua missão incompleta, atrasando sobremaneira sua evolução.

Dentro dessa ótica, para descobrir a sua grande visão, e qual é o seu propósito, depende muito dessa sensibilidade para buscar dentro de você mesmo. Posso dizer que não é tarefa fácil, mas acredite, cedo ou tarde isso vai acontecer.

Levei mais ou menos trinta e cinco anos para conhecer minha real vocação, antes disso trabalhei em muitas coisas, mas sempre ficava um vazio e um sentimento de não realização.  Até que um dia descobri que a minha missão de vida era ajudar as pessoas a se desenvolverem.

A grande visão que tenho hoje é de estar num palco em várias partes do mundo e tendo meus livros sendo lidos por todos aqueles que precisem de orientação. Agora minha vida tem sentido, pois sei o que vim fazer aqui.

Então a sua visão está diretamente relacionada com o seu propósito, a sua missão evolutiva.

Acredite, a sua vida terá um novo significado quando você descobrir isso.

COMO SABER QUAL É A MINHA VISÃO?

A missão de cada um tem conteúdos específicos e intransferíveis, carregados de dons únicos e potenciais que somente aquele indivíduo conseguiria desenvolver.

Muito embora quando falamos sobre a missão de cada um, passamos a ideia de uma tarefa única, personalizada, encontrar e realizar a missão da alma tem aspectos genéricos que se aplicam a qualquer ser humano.

Cada ser humano possui dons ocultos específicos que podem e devem ser aflorados durante a vida, os quais se bem aproveitados, poderão promover um incrível aumento na plenitude e na alegria de existir de uma pessoa.

Contudo, mesmo após aflorar determinados dons, muitas pessoas ainda munidas de potenciais latentes, não conseguem se concentrar no que realmente importa, a evolução da consciência e o foco em um estilo de vida voltado para os valores do espírito.

Todos nós em algum momento nos perguntamos sobre nossa missão aqui na Terra, já começamos sentir um dos primeiros sintomas que indicam que não estamos alinhadas com os nossos propósitos: o sentimento de vazio. Este sentimento não vem sozinho, com ele sempre encontramos a angústia, a frustração e o desânimo.

Este sentimento que aflora do peito é aquele conjunto de características que surge em uma pessoa que não faz o que ama fazer, que não vive uma vida cheia de propósitos, que não tem alegria no olhar, que não consegue construir aquele tipo de motivação que transforma os lugares por onde elas passam.

São pessoas que fazem “tudo direitinho”, que pagam as suas contas, que não fazem mal a ninguém, que são bons cidadãos e só! Não tem energia para criar novos projetos e para inspirar mais pessoas a tal. E a simples razão é porque não estão focando o estilo de vida para os valores da alma.

Quando você tem um sonho, um objetivo grandioso bem definido, você ganha binóculos potentes, que te permitem enxergar muito mais. Pessoas de sucesso são tão hábeis nisso, conseguem enxergar até dez anos à frente.

Isto faz lembrar a proposta dos fundadores do Google, que ao estabelecerem a visão da empresa, disseram:

“Nossa missão é reunir toda a informação do planeta terra e, acreditamos que vamos levar 300 anos para isso”.

Imagine que sonho absurdo, quem poderia conceber tal coisa? Eles foram. E o resultado está aí para que todos possam ver, o Google é uma das maiores empresas do planeta em valor e a maior fonte de informação do globo.

Então, a primeira coisa que devemos ter para ficarmos mais atento as oportunidades é saber o que queremos. O sonho coloca em movimento a força da atração, que é a força que rege todo o universo. A partir do momento que temos um foco, tudo que se relaciona com aquele objetivo começa a ser direcionado para nós. É impressionante como eventos começam a acontecer, alguns sem nenhuma explicação aparente.

O QUE PODEMOS ESPERAR DE UMA VIDA SEM VISÃO?

Uma vida sem visão é uma vida sem sentido.

Como diz o Dr. Lair Ribeiro, algumas pessoas vêm ao mundo apenas para ser tubos, ou seja, comem, bebem e vão ao banheiro. No que diz respeito à visão, vivem uma vida sem nenhum propósito.

O objetivo de vida é muito importante e deve ser determinado o mais breve possível, pois quanto mais cedo for a sua descoberta, mais fácil será despender energia a energia da sua juventude para realizá-lo.

Isso me faz lembrar uma passagem na vida de Napoleon Hill, autor do memorável livro A Lei do Triunfo. Conta-nos a história, que Hill ao visitar o milionário americano Andrew Carnegie para uma entrevista, foi surpreendido com uma proposta para ser o primeiro homem a pesquisar os princípios que regem o sucesso. E que esse trabalho seria fruto de uma vida inteira, mas de grande relevância para a posteridade. Hill, afirma em suas memórias, que diante do gigantesco desafio quis recusar, alegando falta de conhecimento, instrução e recursos suficientes para tal façanha.

Foi então que Andrew Carnegie deu a Hill uma das maiores lições de sua vida, disse-lhe ele:

– “O Ser humano quando entra nesse mundo é-lhe apresentado dois envelopes.

Em um deles está escrito RIQUEZAS INFINITAS, e no outro, PENALIDADES. – Continuou. – As riquezas infinitas serão suas se conseguir colocar sua mente na realização de um objetivo, ou seja, se tiver um propósito pelo qual lutar. O segundo envelope, penalidades, virão caso o senhor fique a mercê das circunstâncias, tendo uma vida sem nenhum propósito.

As riquezas infinitas são: saúde forte, consciência tranqüila, um trabalho que ama, libertação de toda forma de medo ou preocupação, uma atitude mental positiva e riquezas materiais infinitas…

As penalidades são: saúde fraca, medo e preocupação, indecisão e dúvida, frustração e falta de confiança, pobreza e necessidades, inveja, avareza, ciúmes, raiva, orgulho e todos os sentimentos nocivos….

Após ouvir atentamente, Napoleon Hill aceitou o desafio proposto por Carnegie e deu início a um dos maiores projetos que alguém já realizou até hoje, entrevistar mais de 16 mil homens e mulheres de sucesso e copilar as informações referentes aos traços semelhantes encontrados na personalidade de cada um e, após vinte e cinco anos de estudo, foi lançado o primeiro livro, que na época, 1928, chamou-se, As Leis do Sucesso, sendo depois alterado para, A Lei do Triunfo.

Como podemos ver, uma vida sem um propósito, sem uma visão, é uma vida sem sentido. A única forma de sermos totalmente realizados é através da realização da nossa grande visão.

Pior do que não ter uma visão, um sonho, é não se empenhar para realizá-lo.  A pessoa mais frustrada do mundo é alguém que tem um sonho, mas não sabe como realizá-lo.

Existem muitas pessoas que transformam seus corações em cemitérios de sonhos. Sonham, mas na manhã seguinte não fazem nada para tornar esses anseios uma realidade.

Se gostou do nosso artigo, compartilhe.

Siga-nos nas redes sociais para acessar outros conteúdos relevantes. Este artigo está baseado no meu livro O Poder da Visão e do Propósito Pessoal, pela Editora LUZAZUL. Caso queira adquiri-lo entre em contato conosco.

Por: José Batista Santos

Sobre o autor: Graduado em Marketing pela UNINORTE – Laureate International Universities. Consultor corporativo e conferencista há mais de 20 anos, sendo o autor de cinco livros publicados pela Editora LUZAZUL.

Contatos:

WhatsApp: 92 98201-2859; E-mail: [email protected]

Facebook.com/jbsantosmasgter; Instagram: @oratoriapoderosa 

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X