Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Não se invalide!

Publicado em

Todos os dias a informação chega cada vez mais rápido em nossas mãos e juntamente com a informação, a cobrança e a pressão social invadem as nossas mentes. E de repente, tudo o que sentimos é invalidado.

Não, não estou dizendo que você deve continuar com atitudes preconceituosas. É necessário que busquemos a evolução pessoal e social constantemente, entretanto, quando tudo se torna o outro e você nada, é hora de respirar e entender o que está acontecendo consigo.

A todo momento ao pegar em seu celular, ao ligar o seu computador você se depara com frases que diminuem seus sentimentos. Você não pode se exaltar, você não pode se sentir magoado, você não pode comemorar as suas conquistas, você não pode isso, aquilo e aquele outro, porque o outro sofreu algo pior, porque o outro passa mais dificuldades que você, porque comemorar é ser arrogante.

Continua depois da publicidade

E então, você já não se importa mais com os seus sentimentos, tudo gira em torno de não ferir o outro, de compreender o outro, mas e você?

A importância de chorar e de sentir cada emoção é anulada, cada reação sua gera culpa, e toda a inteligência emocional é corrompida. Impedindo que as emoções sejam identificadas e controladas. Sem sentirmos, não aprendemos e ficamos cada vez mais frágeis.

Lembre-se: compreender a dor do seu próximo não é se submeter a humilhações e maus tratos. A cobrança da sociedade em sermos cidadãos que convivam bem em união, podem ser interpretadas erroneamente, inferiorizando as individualidades.

Quando não se concede espaço para as suas questões pessoais, facilmente será infringido, facilmente será violado.

Pessoas maldosas aproveitam facilmente da instabilidade emocional alheia, e claro, que não há benefícios na instabilidade emocional. É sofrível ser anulado de expressar seus sentimentos, anulado de ser sincero consigo mesmo, de SER você mesmo.

Entenda que cada indivíduo possui sua própria realidade, e todas as realidades devem ser respeitadas igualmente. Todos passam por transformações ao longo da vida, vivenciando bons e maus momentos. Cada indivíduo é educado e desenvolve uma cultura e personalidade diferente.

As possibilidades são infinitas, não podemos ser inferiorizados ao ponto de não reconhecermos as nossas próprias emoções,

sendo invadidos pela confusão mental, que desenvolvem incredulidade sobre as nossas próprias vivências, particularidades e desconfiança em cada passo dado.

Devemos dar valor aos nossos sentimentos, pois eles são em sua totalidade, nossos, e tão somente nossos que uma simples palavra é interpretada de variadas formas por cada pessoa que a ouviu.

É importante destacar que sim, devemos validar o sentimento dos que estão à nossa volta, afinal traz aprendizados e amadurecimento para as relações interpessoais. Quando não permitimos que o outro se sinta acolhido deixamos de criar conexões emocionais. Assim como fazem com as crianças: “Engole o choro”, diz a mãe.

E a criança cresce entendendo que não é necessário perceber, reconhecer, identificar tais emoções e os seus aprendizados. Criando adultos que não tem a capacidade de sentir sem se autocriticar, ser duros e impacientes com o que ocorre dentro deles.

Compreender, discordar, concordar, são reflexões a serem feitas a respeito das emoções, pois quando refletimos, entendemos, visualizamos novas formas de agir, e então, solucionamos o conflito interno e externo. Diminuindo assim, reações exageradas e incompatíveis com o momento.

Como dito anteriormente, a sociedade e a rapidez das informações expõem erros e acertos e então buscamos cada vez mais o acerto, entretanto, quando focamos somente no acerto, ao errar a frustração não é reconhecida.

A validez de um sentimento deve cair sobre todos os sentimentos, seja ele a inveja, raiva, medo frustração, alegria, afeto, tristeza, amor etc. Se só aprende a validar o acerto, quando errar será o seu tormento. Nada pode ser feito pela metade, é de extrema importância partilhar de todas essas experiências.

É como uma laranja, se só comer metade e deixar a outra fora da geladeira, a metade deixada para depois, apodrecerá. Nada pode ser feito pela metade, porque vai continuar acontecendo a mesma coisa que acontecia anteriormente, mas apenas em uma metade. Isso interfere diretamente no nosso cotidiano, não conseguindo resolver problemas diários, tornando-se improdutivo se algo não está de acordo com o que está acostumado.

Um passo fora da linha e o caos é instaurado, afinal você nunca se permitiu sentir, conhecer, validar os seus sentimentos para conseguir acalmá-los.

Se apenas damos importância para informações que somente apontam defeitos e não apresentam soluções, se só damos importância para julgamentos e opiniões sobre o que devemos ou não sentir, se só invalidamos, repudiamos os nossos sentimentos… Quem está validando-os então? Fazer isso é comer suicídio emocional.

Que autoestima tem alguém que só enxerga seus defeitos? Que habilidades emocionais tem alguém que não consegue nem decifrar as suas próprias emoções? Que atitudes essa pessoa tomará a não ser ficar rodando em círculos?

Não seja um desconhecido para si mesmo. Mais uma vez, não é necessário cair para saber que machuca. A inteligência emocional é a visão ampla de como driblar de pedras que possam aparecer no caminho, mas só é possível visualizar, quem se valida.

Para conseguir compreender cada reação acometida, primeiro tem que ter a ação e nem sempre a ação é boa, e é aí que temos que ser conscientes, mesmo que venha doer, para que nada passe batido e incompreendido.

Intensificar nossas emoções ao invés de suprimi-las, é consentir que todos nós temos dias felizes e dias tristes, boas e más memórias, mas que não podemos deixar de sentir a vida como ela é, para simplesmente não sentir nada. Guardar as suas emoções ao invés de expressá-las pode gerar problemas emocionais e físicos.

Não é difícil ouvir frases como: “Quem engole sapo desenvolve gastrite”, por exemplo. Sentimentos não podem ser escondidos, alguns deles geram graves problemas de saúde, como: estresse, baixa imunidade, dores no corpo, doenças dermatológicas, ansiedade e depressão.

Não deixe que todas essas consequências te alcancem, mude agora, tome o controle de si, dos seus pensamentos e invista na sua inteligência emocional.

Não deixe que os outros te invalidam, nem você mesmo invalide o que sente, o que pensa, como age, mas compreenda, dê uma segunda chance para si mesmo, só desta maneira conseguirá lidar com a vida, que nunca te entregará somente flores, mas pedras também.

Boa sorte!

“Encare a vida como uma gangorra, sempre haverá momentos altos e baixos, A felicidade está no equilíbrio.” Marcio Kühne.

Por: Afonso Pacileo/R7

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em