Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Como identificar e trabalhar minhas crenças limitantes?

Publicado em

“As crenças representam uma das estruturas mais importantes do comportamento. Quando realmente acreditamos em algo, nos comportamos de maneira congruente com esta crença. Existem vários tipos de crenças que precisam estar em seu devido lugar, para que a pessoa possa atingir o objetivo desejado.” Robert Dilts.

Crenças são profecias autorrealizáveis

“Se você pensa que pode ou se você pensa que não pode, de qualquer forma você está certo.” Henry Ford.

Continua depois da publicidade

Leia também Metáfora da verdadeira Felicidade!

Todos nós possuímos um crençário, repleto de crenças que possibilitam ou limitam nossas ações, que denomino como sendo limitantes ou possibilitadoras. Nós simplesmente não funcionaríamos se não tivéssemos nossas crenças. Elas permeiam nossas vidas intensamente.

Imagem: Reprodução

Os resultados que obtemos dependem muito mais das crenças que dos fatos, sendo assim, se queremos promover qualquer mudança pessoal, inevitavelmente esbarraremos em algumas crenças.

Como identificá-las?

As crenças limitantes usualmente se manifestam por:

Desesperança = nenhuma expectativa de atingir o objetivo.

– Impotência = nenhuma possibilidade de atingir o objetivo.

– Inutilidade = não mereço atingir o objetivo.

– Incapacidade = não sou capaz de atingir o objetivo.

Crenças são processos de pensamentos profundamente inconscientes, razão pela qual são difíceis de serem identificados.

Imagem: Reprodução

Como profecias autorrealizáveis, as crenças agem como permissões ou empecilhos diante do que queremos e podemos fazer, por isso, para que os resultados desejados sejam alinhados aos seus valores ou impedidos por alguma crença limitante, importante sempre que traçar objetivos, passar pelo crivo destas três perguntas:
Eu acredito que é possível alcançar estes resultados?

Depende de mim? Eu acredito que sou capaz de alcançá-los?

Eu acredito que mereço alcançá-los?

A maioria das pessoas sabe dizer exatamente o que não quer, mas muito poucas têm a mesma clareza quando indagadas a respeito do que querem.

Ao trabalhar qualquer crença, o mais importante é ter uma representação clara do objetivo final, e partindo do estado atual, chegar ao estado desejado, devidamente identificado.

Uma vez definido o que se deseja, é necessário reunir informações sobre a situação atual, estado atual em que a pessoa se encontra. Ao comparar o estado atual com o estado desejado, é possível determinar que habilidades e recursos são necessários para atingir o estado desejado.

Imagem: Reprodução

Muitas vezes encontramos dificuldades para acrescentar os recursos ao estado atual porque algo no nosso pensamento, interfere.

Nestas interferências estão as crenças limitadoras, no entanto, é importante nos darmos conta que temos todos os recursos necessários para conseguirmos alcançar o estado desejado, principalmente a acuidade sensorial para percebermos rápido quando as estratégias adotadas não estão nos levando para os objetivos definidos e a flexibilidade para mudarmos estas estratégias.

Nem sempre é suficiente fazer certo as coisas, temos que fazer a coisa certa.

“Pode-se querer fazer alguma mudança, acreditar que é possível fazê-la, mas sem saber como, sem a fisiologia e a estratégia adequadas, será difícil obter bons resultados.” Robert Diltz.

Por: José Eduardo Tófoli

Autor do livro “O que te impede de Viver Feliz?” e “Farol da Sabedoria.”
Youtube: JOSÉ EDUARDO TÓFOLI
Instagram: @joseeduardotofoli

 

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X