EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Alessandra Campelo – O que a deputada quer esconder?

“Sou favorável à investigação, mas desde que siga as regras. Não sou contra qualquer investigação, mas não pode ser da cabeça do presidente, há regras”, afirmou Alessandra Campelo. 

Publicado em

Alessandra Campelo é uma deputada e vice-presidente da ALE-AM (Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas) que vem tentado de todas as formas possíveis barrar a CPI da saúde que seria instaurada na região.

Entretanto, na manha desta terça-feira (19/05), em mais uma sessão ordinária virtual do ato, Alessandra se opôs contra a instauração da CPI que iria investigar a atual gestão da secretaria de saúde frente à pandemia de covid-19 e as secretarias de gestões anteriores, mais especificamente as de 2011 a 2015.

Apesar de todas as denuncias na área da saúde desde 2011 e na operação Maus Caminhos da Polícia Federal, responsável por investigar e prender o ex governador cassado, José Melo, e outros 4 ex secretários e sua esposa, a parlamentar se coloca ferrenhamente contra qualquer possibilidade de investigação, usando da narrativa de invalidez, ilegal e intransparente.

“Sou favorável à investigação, mas desde que siga as regras. Não sou contra qualquer investigação, mas não pode ser da cabeça do presidente, há regras”, afirmou Alessandra Campelo.

Entretanto, segundo investigações da PF na operação Maus Caminhos, no mês de setembro de 2015, Afonso Lobo, um dos ex secretários presos, havia se hospedado por três dias em um hotel de luxo na capital federal.

Alessandra Campelo e Wilson Lima

Estava em sua companhia a parlamentar que vem se opondo contra a CPI e vale lembrar que a operação investigava fraudes e desvios de milhões na saúde pública do estado. A hospedagem foi feita com o dinheiro da corrupção que a quadrilha assaltou dos cofres públicos, segundo a PF.

Ainda segundo a inteligência, a reserva foi feita pessoalmente pelo cabeça do esquema de corrupção, Mouhamad Mustafa. O caso narrado foi descoberto na operação Custos Políticos, que é um desdobramento da operação Maus Caminhos.

Afonso Lobo: “Estou indo à Brasília. Você tinha como verificar aquele hotel?”

Mouhamad Mustafa: “Claro, irmão! Só o senhor ou mais algum nome e até quando?”

Seguindo na conversa, a PF divulgou um documento onde Mustafa enviou para Lobo o comprovante da reserva feita para os dias 8, 9 e 10 de setembro. No documento é possível ver os nomes do ex secretário e da deputada Alessandra Campelo.

Porém, na agenda de Alessandra, mostrava que ela teria reunião no Senado Federal nos dias 9 e 10. Contudo, no dia 8 a deputada não tinha compromissos na capital federal.

O que a deputada quer esconder? Por que é tão apoiadora do atual governo do estado? A CPI foi barrada pelo desembargador Mauro Bessa. O desembargador afirmou que os membros escolhidos por Josué Neto, presidente da casa, é uma ofensa aos princípios da autonomia partidária.

Leia mais: Roda Viva – Felipe Neto agora é pensador político

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em
X