Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Inflação do aluguel tem maior alta desde 2002 e encerra o ano em 23,14%

Apesar do IGP-M ter desacelerado em dezembro, o acumulado dos últimos 12 meses bateu recorde

Publicado em

O Índice Geral de Preços – Mercado ( IGP-M ), conhecido como a inflação do aluguel , encerrou 2020 com alta de 23,14%, de acordo com relatório divulgado pela Fundação Getúlio Vargas nesta terça-feira (29).

O índice é o mais alto desde 2002, quando a inflação do aluguel acumulou alta de 25,31%.

Leia também: Mercado prevê que inflação pelo IPCA ficará em 4,39% este ano

Para comparação, os últimos cinco anos tiveram variações bastante diferentes da atual:

  • 2015: 10,54%
  • 2016: 7,17%
  • 2017: -0,52%
  • 2018: 7,54%
  • 2019: 7,3%

O que define o IGP-M

Continua depois da publicidade

Diversos índices são levados em consideração para definir a flutuação do IGP-M . São eles o Índice de Preços ao Produtor Amplo ( IPA ), com peso de 60%, o Índice de Preços ao Consumidor ( IPC ), com peso de 30%, e o Índice de Nacional de Custo da Construção ( INCC ), com peso de 10%. Dentre eles, o que mais pressionou a alta da inflação do aluguel foi o IPA, com avanço de mais de 31% em 2020.

Apesar do aumento anual recorde, a alta do IGP-M desacelerou em dezembro , quando em comparação a novembro. Neste mês, a inflação do aluguel subiu 0,96% – no mês passado, a alta foi de 3,28%.

Na hora de reajustar o aluguel, porém, o que vale é o acumulado dos últimos doze meses. Apesar da alta expressiva, analistas dizem que é bastante possível tentar uma negociação no reajuste do aluguel , já que o cenário atual é de crise.

Fonte: iG 

Categoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em