Chinese (Simplified)EnglishFrenchJapanesePortugueseSpanish

Ações desbancam CDBs na preferência dos investidores em melhor mês do Ibovespa

O desempenho do principal índice da bolsa ajuda a entender os motivos para as ações terem chamado tanta atenção do investidor. O Ibovespa acumulou ganho de 15,98% em novembro, na maior alta desde março de 2016

Publicado em

Após três meses consecutivos reinando no posto mais alto do ranking de investimentos mais buscados, os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) foram catapultados para a sexta colocação e deixaram a medalha de ouro para as ações em novembro, aponta levantamento da plataforma de busca de investimentos Yubb.

O desempenho do principal índice da B3, a bolsa brasileira, ajuda a entender os motivos para as ações terem chamado tanta atenção do investidor. O Ibovespa acumulou ganhos de 15,98% em novembro, na maior alta desde março de 2016, e fechando o mês aos 108.893 pontos.

O otimismo com ações no mês passado foi impulsionado pelo fluxo mensal recorde de estrangeiros na bolsa brasileira, com apetite alimentado pela menor sensação de risco trazida por vacinas contra covid-19 e definição das eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Continua depois da publicidade

Leia também: Economia do Brasil tem crescimento recorde de 7,7% no 3º trimestre

Nessa esteira, os fundos de ações subiram da terceira colocação em outubro para a segunda posição em novembro.

Investimentos mais buscados de novembro

Posição Tipo de investimento
1 Ações
2 Fundos de ações
3 Fundos multimercado
4 Tesouro Direto
5 Fundos de índice (ETFs)
6 CDBs
7 LCI/LCA
8 Fundos imobiliários (FIIs)
9 BDRs
10 LC/RDB

Fonte: Yubb. Foram consideradas as buscas por investimentos entre 1 e 30 de novembro de 2020

Os fundos multimercados saíram da segunda para a terceira posição e as LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letras de Crédito Agronegócio) tombaram do quarto para o sétimo lugar em novembro.

O Tesouro Direto subiu da nona posição em outubro para o quarto lugar com a melhora no desempenho dos títulos atrelados à inflação, o Tesouro IPCA+, que conseguiu sair da zona vermelha dos últimos meses e reduzir as perdas no ano. O Tesouro Selic continuou perto de zero e perdendo até da poupança.

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts, nome dado aos recibos de ações estrangeiras negociadas no Brasil), estrearam em setembro na oitava posição do ranking, subiram para o quinto lugar em outubro e desceram para a nona colocação no mês passado.

A negociação desses ativos por pequenos investidores foi liberada apenas em 22 de outubro, o que aumentou o interesse no investimento naquele mês. Antes, apenas pessoas com mais de R$ 1 milhão em aplicações financeiras podiam comprar BDRs na bolsa.

Na lanterninha ficaram os títulos de renda fixa Letra de Câmbio (LC) e Recibos de Depósito Bancário (RDB), que caíram da oitava posição em outubro para a décima.

Fonte: Valor Investe

Categoria

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Leia mais em