“Alimentação continua pressionando, com um pouco menos força do que o ano passado, mas não se pode ignorar. É impressionante como carne bovina sobe sem parar há um ano com repasse de custos, como o câmbio, mesmo com a redução do consumo interno, com as pessoas deixando de comprar por falta de recursos”, diz, destacando a alta de 3,56% em 2021 e de 31,62% em 12 meses.

Para o IPC em 2021, Moreira admite que deve haver nova elevação na divulgação de abril, considerando a projeção de 4,39% atualmente. “É uma situação preocupante, porque a inflação está pressionada com a atividade fraca.”

*Com informação do Estadão Conteúdo