Biblioteca Pública do Estado - Foto: Reprodução/Alexandre Alcântara

Um dos belos prédios do Centro Histórico, abriga a grandiosa biblioteca pública com obras raras, periódicos antigos, material acadêmico para estudo e pesquisas. 

A Biblioteca Pública do Amazonas teve seu primeiro espaço inaugurado no dia 19 de março de 1871, e contava com um acervo de 1.200 livros.

Funcionava na Travessa da Imperatriz, onde hoje é o atual Colégio D. Pedro II, ou Estadual. 

A mesma passou por diversos espaços, mas foi no Governo de Constantino Nery, no período de 1904 e 1912, que o belíssimo edifício da Biblioteca Pública do Estado do Amazonas foi construído.  

Biblioteca Pública do Estado do Amazonas – Foto: Reprodução

No início de seu funcionamento, a biblioteca era frequentada pela elite social e cultural da época. Professores, advogados, médicos, magistrados, sacerdotes e comerciantes. 

Em agosto de 1945, o local teve seu acervo parcialmente destruído em decorrência de um incêndio.

E reaberta ao público no dia 21 de abril de 1947, sob a administração do Governador Leopoldo Amorim da Silva Neves. 

No ano de 1985, o lugar recebeu uma restauração parcial e uma mais completa em 2013, quando foi reaberta a população.  

Espaços da Biblioteca  

Ao entrarmos no Prédio, temos o balcão de atendimento aos visitantes e vemos a famosa e bela escadaria principal em arco aberto, encomendada na cidade de Glasgow, Escócia. 

Biblioteca Pública – Escadaria Principal – Foto: Reprodução

No primeiro andar do espaço, encontram-se os salões Genesino Braga e Thalia Phedra Borges dos Santos.  

No primeiro salão, o visitante encontra um acervo de 32 mil obras de obras raras e amazônicas para consulta.

No segundo, o estudante pode encontrar cerca de 35 mil volumes com os mais variados temas para pesquisa, além de um lugar confortável para ler e estudar. 

Biblioteca Pública e seus espaços – Foto: Reprodução

A Biblioteca Pública encanta pela sua arquitetura. Em seu teto, estão esculpidos os rostos de quatro famosas figuras que estão representando as artes e letras: o jurista Teixeira de Freitas, o romancista Antônio Gonçalves Dias, o maestro Antônio Carlos Gomes e Johannes Gutemberg, criador da imprensa.  

O belo quadro “A Redempção do Amazonas”, de Aurélio de Figueiredo chama a atenção dos visitantes, no hall superior.

Obra que fala da abolição da escravatura no Amazonas.

Biblioteca Pública – “A Redempção do Amazonas” – Foto: Reprodução

Encontram- se também no segundo andar os salões Lourenço Pessoa, onde é possível encontrar uma coleção de mais 30 mil jornais, que datam até 1886 e que podem ser consultados.  

E o salão Maria Luiza de Magalhães Cordeiro onde está a Gibiteca, com uma variedade de quadrinhos infanto-juvenis, e o Telecentro, onde o visitante pode usar a internet para estudos. 

Biblioteca Pública – Telecentro – Foto: Reprodução/Michael Dantas

O local permite consulta e empréstimos de livros, para isso, o usuário precisa se cadastrar apresentando um documento de identidade e comprovante de residência. 

A biblioteca sedia no último domingo de cada mês a Troca de livros e gibis, e tem como objetivo estimular o interesse na literatura.

Os visitantes levam gibis e livros e ganham cupons para realização da troca. E o melhor, o evento é gratuito.

Biblioteca Pública do Amazonas – Gibiteca. Foto: Reprodução

Ei maninho, vamos conhecer a nossa bela biblioteca? Ela funciona no horário de sexta-feira, das 8h às 17h. Na Rua Barroso, Centro Histórico de Manaus. 

Leia mais:
Ei maninho! Vamos visitar o Museu do índio?
Museu do Seringal Vila Paraíso e as histórias dos tempos áureos da borracha
Por: Thayene Freitas 

 

 

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.