O Governo do Amazonas entregou, nesta sexta-feira (09/02), uma ala de enfermarias com 47 novos leitos de internação, na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ). O espaço ocupa o quarto andar da unidade, que passou por uma ampla reforma e recebeu equipamentos para funcionar como leitos de retaguarda aos prontos-socorros da capital. Segundo o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, os novos leitos vão dar suporte à rede de urgência e emergência, em especial aos prontos-socorros 28 de Agosto, João Lúcio Machado e Platão Araújo, que a atual gestão recebeu com superlotação, funcionando acima da capacidade.

Agora, já são 145 leitos de apoio aos prontos-socorros, abertos desde que a nova gestão da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) assumiu. São mais 45 de um convênio com o Hospital da Sociedade Beneficente Portuguesa e 56 no Hospital da Zona Norte. “É mais um esforço do Governo do Amazonas, atendendo à determinação do governador Amazonino Mendes, no sentido de reconstruirmos a saúde do Estado que encontramos em situação crítica. Com isso, damos vazão ao fluxo nos prontos-socorros, para que voltem a atender dentro da suas capacidades e, assim, oferecer um atendimento digno à população”, observa o secretário.

O secretário destaca que, neste primeiro momento, 12 unidades de saúde da capital passam por obras de melhorias, como reformas e adequações, para que voltem a atender na sua capacidade plena. Além do Hospital Adriano Jorge, a Fundação Cecon também está aumentando o número de leitos e equipe e recompondo seu setor de diagnóstico. As medidas também se estendem aos três prontos-socorros adultos e aos três infantis – PSC Zona Sul, PCS Zona Oeste e PSC Zona Leste –, às três principais maternidades – Balbina Mestrinho, Ana Braga e Instituto Dona Lindu e ao Instituto da Criança (Icam).

Reforma

Para abrir os novos leitos na Fundação Hospital Adriano Jorge, a Susam precisou reformar todo o quarto andar da unidade, que estava fechado por falta de condições de funcionamento. Foram investidos em reforma e equipamentos aproximadamente R$ 460 mil. O hospital ainda está investindo R$ 245.540 mensais para os serviços de assistência na área de enfermagem e equipe médica. No espaço, funcionam os serviços de clínica médica e cirúrgica, com equipe completa, formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e todos os profissionais necessários para o atendimento aos pacientes.

Transferências

Na manhã desta sexta-feira, o Adriano Jorge recebeu 27 pacientes transferidos do Pronto Socorro 28 de Agosto. A diretora do PS, Claudia Teixeira, disse que o reforço veio em boa hora. “A remoção de pacientes em pleno Carnaval vai desafogar os leitos para as ocorrências possíveis durante o período. Vamos poder trabalhar mais tranquilos e oferecer um atendimento mais apropriado”, disse ela, ao explicar que os pacientes transferidos são aqueles que já foram estabilizados e precisam ficar internados para continuar a receber os cuidados médicos até a alta hospitalar.

Uma das pacientes removidas para o Adriano Jorge foi Julieta Cardoso, 87 anos, que estava internada desde o último dia 6 no 28 de Agosto. “Fui muito bem atendida lá, mas aqui é melhor, principalmente porque estou perto de casa”. Ela mora no bairro da Cachoeirinha e disse que os parentes podem ir visitá-la a pé.

A diretora-presidente da FHAJ, Christianny Sena, ressaltou a conquista, em pouco tempo de trabalho do novo governo. “Trabalhamos para ofertar saúde com qualidade à nossa população. É uma satisfação enorme poder contribuir com mais leitos à rede de saúde do Amazonas”, destacou Christianny. “Além disso, como campo de atuação dos residentes e estudantes da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), estaremos fortalecendo a formação dos profissionais do setor saúde, ampliando o campo de estágio”, destacou.

Além dos 47 leitos, também foi inaugurada no 4º andar do Hospital Adriano Jorge uma nova sala de estabilização, preparada para atender pacientes com situação agravada. A sala possibilita assistência hospitalar e a reanimação de forma ágil, até o paciente ser encaminhado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Reforma também para CTRE – Também foram reformados cinco leitos do Centro de Tratamento de Reposição Enzimática (CTRE), que trata pacientes de mucopolissacaridoses (MPS), um conjunto de doenças metabólicas hereditárias e raras, dentre as quais, o Lupus. Entre os sintomas das MPSs estão atrasos no desenvolvimento, severa displasia esquelética, problemas cardíacos, entre outros. Atualmente, no Amazonas, são 16 pacientes em tratamento para MPS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here